Mais de duas mil pessoas visitaram feira vegana em Jundiaí, SP

Mais de duas mil pessoas visitaram feira vegana em Jundiaí, SP

Neste domingo (8) aconteceu a 2º VegJu, Feira Vegana de Jundiaí, que lotou o Clube São João: mais de duas mil pessoas, entre veganos, vegetarianos e curiosos, visitaram o evento, que contou com uma grande variedade de expositores e outras atrações.

Foram mais de quarenta expositores, com os mais variados produtos, que ia de opções de comidas doces e salgadas, até artesanatos, vestuários e itens de higiene pessoal. Um dos espaços mais lotados, sem dúvidas, era os que vendiam comida japonesa, churrasco e lanches com hambúrguer e muito queijo – tudo vegano, ou seja, sem nada de origem animal.

Doces, nutella, leites e queijos vegetais compunham o cenário de delícias veganas, assim como novas iniciativas em Jundiaí, como exemplo duas que chamaram a atenção dos visitantes durante o evento: o anúncio de uma nova eco escola vegana em Jundiaí e também um novo projeto que vende via online e entrega na casa do consumidor verduras e legumes produzidos por produtores locais.

Além disso, a feira contou com a presença da ativista Luísa Mell, que apresentou por muitos anos o programa Late Show e virou notícia nacional após o resgate de cães de raça que eram torturados em canis certificados. Ela esteve por um período na feira, autografando seu novo livro ‘Como os Animais Mudaram Minha Vida’.

Para Cláudia Trevisan, uma das organizadoras, o intuito da VegJu é propagar a filosofia vegana. “Somos quatro amigas veganas, com o intuito de propagar o veganismo em Jundiaí e região. No ano passado fizemos uma feira, ela foi em um espaço pequeno, mas recebeu mais de 700 pessoas. Então nós vimos como as pessoas se interessam e buscamos um lugar maior”, explicou ao Tribuna de Jundiaí, durante o evento.

Além disso, o evento também visa ajudar os animais. “Temos várias campanhas na feira de trazer ração. A entrada é gratuita, sempre vai ser, mas pode ser feita a doação voluntária de ração na entrada e também com os expositores”, continuou.

Para os expositores, a feira é uma forma de valorizar o trabalho de quem produz alimentos e produtos veganos em Jundiaí. “Esse tipo de evento favorece o pequeno produtor local e favorece essa pequena economia”, afirmou a expositora Carolina Infanger, que vendia seus bolos, cookies e várias guloseimas sem nada de origem animal por meio de sua empresa, a Querida Amélia.

Já para moradores de Jundiaí e região, a feira é uma forma de conhecer iniciativas locais que oferecem opções totalmente veganas para esse público, que cresce cada vez mais. Em âmbito nacional, de acordo com pesquisa do Ibope, 14% da população já é vegetariana.

A diferença entre os dois grupos, no entanto, é bem grande: enquanto vegetarianos não consomem produtos de origem animal, como carnes e derivados de leite e ovos, os veganos vão além: eles não comem estes alimentos e também não compram nada que seja testado nos animais, como é o caso de cosméticos, ou produtos que pertençam a empresas que patrocinem testes, rodeios e qualquer outra coisa que vá contra a filosofia de bem estar animal.

Para Lívia Beatriz, uma das visitantes da feira, a VegJu é essencial para esse público na cidade. “Jundiaí é pequena nessa parte do veganismo, não tem muita opção. Então, um evento desse, é de grande importância”, finalizou.

Fonte: Tribuna de Jundiaí

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.