Ministério Público quer o fim do comércio de animais vivos no Mercado, em Aracaju, SE

Emsurb diz que comerciantes já não estão mais autorizados.

770

O comércio de animais vivos na área do Mercado Albano Franco, no centro de Aracaju, oferece riscos à saúde pública. Este é o entendimento do Ministério Público Estadual, que desde 2011, vem tentando proibir definitivamente esse tipo de comércio no local. A Ação Civil Pública em desfavor da Prefeitura de Aracaju e Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) já teve decisão favorável ao MPE, mas os comerciantes conseguiram uma liminar, e por isso, quem vai ao Mercado ainda encontra animais expostos para venda. Nossa reportagem encontrou pontos de vendas nos mercados Thales Ferraz e Albano Franco. A promotora responsável pelo caso não quis gravar entrevista, mas nossa reportagem conversou com a representante de uma ONG em defesa dos animais, que desde o início acompanha o caso.

A assessoria de comunicação da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) afirmou que desde que saiu a decisão, proíbe o comércio de animais vivos no Mercado Albano Franco, mas não no Thales Ferraz. “A decisão é específica na proibição desse tipo de comércio no Mercado Albano Franco”, pontua Augusto Aranha, assessor de comunicação. Aranha explicou ainda que somente um comerciante permanece vendendo pássaros, pois teria uma liminar que o permitia.

Fonte: Infonet

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.