Os gatinhos de Quetlin Heidrich (Foto: Reprodução / Facebook)

Miss Mato Grosso denuncia amigo que matou seu gato enforcado por causa de mordida

A miss Mato Grosso 2016, Quetlin Heidrich, prestou queixa contra um amigo dizendo que ele teria matado um de seus gatos depois de ter sido mordido pelo bichano. O caso aconteceu no apartamento da miss em Brasília (DF), mas, como ela está em Cuiabá, foi registrado na capital mato-grossense.

Conforme o boletim de ocorrência, ela viajou para Cuiabá e deixou o amigo em seu apartamento em Brasília (DF) cuidando de seus dois gatos.

A miss desde os 13 anos tem uma ONG que resgata animais. No Facebook, ela explicou que quando resgatou o gato, chamado “Nego”, foi preciso chamar os bombeiros e usar muita força para retirá-lo de dentro do motor de um carro em seu prédio. O fato, segundo a miss, deixou o bichano arisco e até ela já havia sido mordida por ele, mas que com o passar dos meses Nego foi se acalmando.

Ela disse ainda que deixou o animal aos cuidados do amigo porque ele também tinha uma gata.

Quetlin foi Miss Mato Grosso em 2016 (Foto: Reprodução / Facebook)

Segundo a miss, em um dos dias em que o jovem estava cuidando do gato, ele teria tentado trancá-lo e acabou sendo mordido pelo animal. E, desde então, conforme o relato da miss no Facebook, o amigo tentava matá-lo.

Outras pessoas que estavam no apartamento tentaram tirar a ideia da cabeça do jovem e foram pegar uma caixa para tirar o gato da casa e impedir o assassinato. Foi nesse momento, segundo a miss, que ele matou o animal enforcado. Os vizinhos disseram à Quetlin que ouviram gritos do bichinho.

A miss disse estar despedaçada e explicou que o gatinho tinha trauma da época em que foi resgatado e, por isso, tinha medo que fizessem movimentos bruscos.

“O Nego só mordia quando ele sentia medo. No primeiro dia em que eu o resgatei, ele me mordeu muito forte, mas em momento algum eu pensei, ou fiz maldade. Ele era apenas um animal precisando de carinho, proteção, um lar e alimento”, escreveu Quetlin.

Foto: Reprodução / Facebook

Depois de alguns meses, segundo a miss, o gato tinha se tornado dócil e até a deixava segurá-lo no colo. Ela tinha decidido adotá-lo de vez.

“Eu fiquei totalmente despedaçada quando soube que meus planos foram feitos à toa, porque uma pessoa fez uma maldade horrível com ele”, relatou a miss.

O caso foi encaminhado à Delegacia Especializada de Meio Ambiente (Dema) e deverá ser investigado como maus tratos aos animais.

Por Karina Cabral

Fonte: O Livre

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.