Mochileiros argentinos chegam ao AP e precisam de apoio para cuidar de cão de estimação

Mochileiros argentinos chegam ao AP e precisam de apoio para cuidar de cão de estimação

Um casal de argentinos, que viaja pela América do Sul de bicicleta, está em temporada no Amapá para mostrar o trabalho artístico de rua que eles fazem, com arte circense. A principal atividade é o malabarismo, realizado nos semáforos das cidades por onde passam. Eles viajam com dois cachorros em uma carrocinha acoplada na bicicleta e, o amor por animais, sensibilizou o casal a resgatar e cuidar de cães machucados que estão pelas ruas.

Sol e André Hualbe contam que o carinho por animais é antigo. Antes, eles viajavam sozinhos. Mas há quatro anos eles passaram a ter a companhia da Ramona e do Proto. Com eles, as aventuras de sair pelo mundo, de bicicleta, passaram a ter mais sentido. Numa carrocinha improvisada, os cães acompanham os donos. Onde eles param para as apresentações artísticas, lá estão os fiéis amigos.

“Somos malabaristas, fazemos apresentações nas praças e, o que arrecadamos, compramos nosso almoço, a comida deles [cachorro]. Fazemos esforço para que eles também fiquem bem, consertamos nossas ‘bikes’ para seguir viagem e tudo o que fazemos eles vão conosco. Estamos sempre trabalhando no sol quente, trabalhando e lutando dessa forma para manter a nossa viagem e os nossos parceiros. Estamos na luta”, contou André.

Ramona foi resgatada pelo casal na rua e foi adotada por uma família amapaense.

Nessa vida de mochileiros, o casal revela que passa por muitas dificuldades, o momento atual, por exemplo, está complicado, diz Sol. Eles ajudaram uma cadela, a Ramona, que foi doada e será cuidado por uma família amapaense. Agora é o Proto que está doente, e como quase não entra grana, eles não conseguem arcar com o tratamento do amigo.

“A gente vem viajando com o ‘Proto’ faz quatro anos, ele veio de Aracaju. Já passamos por outras doenças. É muito difícil combater o carrapato, vírus, mas ele se salvou de tudo e agora ele pegou a doença de carrapato e teve uma recaída, não sabemos bem do que se trata, então precisamos fazer alguns exames e comprar medicamentos. Cães são fiéis”, disse Sol.

Proto, o cão preto, viaja com o casal há quatro anos.

Para cuidar do cão, Sol e André contam com a ajuda, em Macapá, de uma ONG de proteção animal, que iniciou uma campanha para custear o tratamento do animal. O proto já teve cinomose, que é uma doença de difícil cura, altamente contagiosa e que pode levar o cão à morte.

Para ajudar o casal de argentinos, o contato é de uma voluntária protetora de animais que organizou a campanha nas redes socais. Todo recurso arrecado será para o cão dos artistas de rua, e também dos demais bichos que estão abandonados e feridos. O número para quem quiser ajudar é 98128-2186. Sobre ajudar animais de rua, o André deixa um recado.

“Galera, tem que dá uma ajuda para o animal que está na rua. Não somos os únicos que viajamos com cachorro, tem uma galera muito grande que viaja com cachorro e que também precisa de ajuda, de apoio”, finalizou.

Sol e André adaptaram um carrinho na bicicleta, para que os amigos possam seguir com eles, confortavelmente — Fotos: Rede Amazônica/Reprodução

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.