Moradores alegam abandono de canil; vídeo mostra cães brigando

O morador de São Miguel Arcanjo (SP) Fernando Augusto do Nascimento Domingues registrou o momento em que cães de um canil municipal brigavam por comida. Segundo Fernando, o espaço está abandonado, os animais ficam sem ração por dias e um deles já chegou a tentar comer o outro por falta de alimentação. Questionada sobre a situação, a prefeitura informou, em nota, que todas as providências serão tomadas de imediato.

As imagens foram feitas no sábado (8), segundo o morador. No vídeo é possível ver cachorros ensanguentados brigando. “Aparece no vídeo eu tacando pedra para separar. Eles não separavam. Dava até medo de colocar a mão e eles morderem a gente. Não tinha nada. Só sujeira. Tem cachorro doente e machucado. Não tinha ninguém aqui”, conta ele.

A equipe de reportagem da TV TEM foi ao canil e constatou o cenário de abandono. No local, a reportagem encontrou um filhote morto em um dos cercados, animais magros e mau cheiro.

Responsável pelo espaço, o médico veterinário da prefeitura Altair Alonso Cassiano alega que os animais são alimentados. “Os animais estão sendo alimentados sim. Além da ração que o pessoal teve acesso no lado de fora, lá dentro tem tambores. A ração fica dentro desses tambores. Tem ração para filhote, cachorro adulto. Os animais mais debilitados são animais que são resgatados e estão em fase de tratamento para poder se restabelecer. Então, não vamos ter 100% de animais bonitos dentro do canil, pois são animais abandonados”, explica.

Cão fica ensanguentado durante briga por comida (Foto: Reprodução/TV TEM)
Cão fica ensanguentado durante briga
por comida (Foto: Reprodução/TV TEM)

O especialista ainda esclarece que o caso em que um morador alegou que um cão matou o outro por fome foi um “caso isolado”. “O que aconteceu é que o animal do canil foi adotado por essa pessoa, que o levou para a sua residência. Porém, uma semana depois, o animal fugiu e voltou para cá. Como estamos com problemas de funcionário, não havia ninguém aqui. Esse animal entrou no canil e provocou um alvoroço entre os outros cães. Em seguida, aconteceu uma briga entre os animais e os vizinhos, ao ouvirem o barulho, entraram no local para separar os bichos. Mas, na realidade, não há casos de canibalismo entre eles, pois existe ração. Isso foi um fato isolado”, conclui Cassiano.

Os moradores da cidade não concordam. Para a podóloga Graziele Queiroz Florão, a questão não é levada a sério pelo poder público. “É um descaso total porque os animais têm vida. Eles também têm um coração pulsante. A gente precisa de uma solução. É um descaso total. A situação que está não é de hoje, é de anos”, reclama.

A auxiliar de comércio Ana Cristina da Silva esteve no canil no fim do domingo (9) e afirma que, apesar de sucessivas reclamações ao Executivo, nada é feito para sanar os problemas estruturais. “Os cachorros não têm vacina. Faz muito tempo. Da outra vez que eu vim o moço falou que não tem vacina, nenhum tomou vacina. É o caso de um dos que eu tosei. Um morreu de pneumonia”, diz.

O número de funcionários abaixo do ideal também foi lembrado pelo servidor público Wilson da Silva Sampaio, que trabalha no local fazendo a limpeza. “Eu acho que tinha que ter mais pessoas para trabalhar, para conviver mais com os animais porque uma pessoa só não vai conseguir dar conta de tudo. Ele tem que ter sua folga e é coisa que ele não tem. A prefeitura tem que providenciar mais pessoas para trabalhar”, pondera.

Assista ao vídeo clicando aqui.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.