Mortandade de botos assusta pesquisadores em Sepetiba (Foto: Instituto Boto Cinza)

Morte de 78 botos cinzas em 17 dias na Baía de Sepetiba, RJ, intriga pesquisadores

Pesquisadores do Instituto Boto Cinza estão intrigados com a morte em massa da espécie. Foram 78 casos em 17 dias na Baía de Sepetiba, como mostra o RJTV desta terça-feira (2).

Ali está concentrada a maior população de botos cinzas do planeta. Ainda assim, estão ameaçados. O número subiu repentinamente.

De acordo com os biólogos, a população local é de cerca de 800 botos – ou seja, quase 10% deles morreram em pouco mais de duas semanas. O motivo ainda é desconhecido.

A conclusão deve sair até o fim do mês. Exames em laboratórios especializados estão sendo realizados. Pesquisadores da ONG SOS Botos afirmam que a pesca predatória não é o motivo.

Todos os dias, o instituto tem recolhido de quatro a cinco carcaças dos animais. Os filhotes estão sendo encontrados com lesões de pele. Muitos deles estão magros.

O padrão de mortalidade também mudou: hoje são fêmeas e filhotes; antes, eram machos e adultos.

Outro habitat de botos cinzas é a Baía de Guanabara. Na década de 80, havia mais de 400 residentes. Tanto que eles estão na bandeira do Estado do Rio.

Boto cinza em flagrante feito pelo Fantástico (Foto: Fantástico)
Boto cinza em flagrante feito pelo Fantástico (Foto: Fantástico)

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.