O casal preso, segundo as investigações, ofertava o sacrifício de animais à Santa Morte.

Na Argentina, animais de estimação eram utilizados como oferendas em rituais macabros para em seguida serem devorados

Um casal que vive em um dos bairros mais antigos da cidade de Tartagal (Argentina) foi detido há poucos dias, após denúncia de vizinhos sobre o abuso a que submetiam animais de estimação para em seguida devorá-los.

Os fatos se sucederam na casa localizada no bairro de Santa Rita, segundo fonte de Tartagal.

Segundo essa mesma fonte, na tarde de quarta-feira passada, uma equipe da polícia chegou à casa denunciada pelos vizinhos, como local de sacrifícios e oferendas de animais para um suposto culto pagão e familiar.

Segundo informado, a surpresa, é que as autoridades não encontraram elementos de vinculem os moradores a delitos federais, mas encontraram um retrato da crueldade contra os animais.

Os vizinhos ficaram fora enquanto eram realizados os procedimentos e, minutos mais tarde a denúncia passou à jurisdição da Polícia do Estado.

Para surpresa, a autoridade responsável, ordenou a detenção do casal e a retirada da custódia de seus filhos.

A partir desse momento surgiram diversas hipóteses sobre os supostos crimes que vinham sendo cometidos naquela casa.

Um dos vizinhos informou que na churrasqueira da casa estavam animais (gatos e cachorros) que haviam sido sacrificados pela manhã, período no qual os vizinhos escutaram lamentos desgarradores, o que os levou a finalmente denunciar o casal às autoridades.

A prisão aconteceu depois de seguidas denúncias da vizinhança.

Trata-se de uma família que há muitos anos, de acordo com informações da vizinhança, maltratavam seus animais, mantendo os animais amarrados a correntes curtas sem que pudessem fazer suas necessidades e na intempérie. Os vizinhos reiteraram que os utilizavam em cultos satânicos e depois comiam a sua carne.

Os moradores do bairro, ao serem abordados pelos meios de comunicação, afirmaram que “Os animais não recebiam os cuidados necessários, eram torturados. Sempre se escutavam os uivos durante a noite e eram desalentadores”.

Como este tipo de crime está previsto em lei, houve atuação das autoridades.

Os rituais de sangue

Após a detenção do casal ordenada pelo juiz federal Carlos Martínez Frugoni e executada pela Polícia Nacional, acabou o sofrimento dos animais que foram resgatados.

Na operação foram encontrados seis cães e um gato, que tinham evidentes sinais de abuso, estavam mal nutridos e acomodados em condições deploráveis.

Os animais resgatados foram tratados por um veterinário e levados a um santuário.

Imaginação e folclore

Depois de noticiado o fato ocorrido no bairro de Santa Rita uma série de discussões foram iniciadas.

Segundo uma fonte confiável, o casal comercializou durante todo o Carnaval, sanduíches e carne assada em uma barraca de rua nas imediações da cidade nortenha, imaginando-se rapidamente que o comércio estava relacionado aos animais resgatados e aqueles que haviam sido assados.

Se verificou que os rituais de sangue eram comuns naquela casa, já que foram muitas denúncias.

Uma organização de proteção animal da cidade agiu quase que imediatamente ao momento que a notícia veio a público, colocando os animais resgatados para adoção.

Nas proximidades, um crânio queimado

Na manhã de ontem catadores de materiais recicláveis encontram um crânio humano semi queimado.

A caveira, completamente escura, estava junto de outros detritos de mesma cor.

Os homens que encontraram os restos humanos chamaram imediatamente a polícia, que confirmou o achado.

Por solicitação das autoridades, uma hora depois o médico legista da polícia estava no local, confirmando tratar-se de um crânio humano.

O médico forense da cidade de Tartagal, Marvin Flores, solicitou à polícia que buscasse o restante do corpo no entorno na lixeira.

Durante as noites, uivos desesperados

Os vizinhos do bairro de Santa Rita afirmaram que durante a noite podiam ser ouvidos uivos desesperados.

Muitos dos moradores já não sabiam o que fazer, ano após ano, suportando escutar a crueldade com que tratavam os animais.

Disseram que foram dezenas de animais torturados naquela casa.

Segundo um dos vizinhos, após o ocorrido a casa encontra-se fechada e na porta, encontra-se um policial de campana.

Sabe-se também que os filhos do casal, menores de idade, estão sob custódia da irmã do dono da casa.

Os animais resgatados foram levados para um refúgio onde recebem alimentação e tratamento.

Na cidade, circulavam vídeos do momento em que as autoridades resgatavam os animais.

Uma instituição de proteção animal publicou em seu blog o que um dos membros da ONG testemunhou: “Quando as pessoas tentam acaricia-los é triste ver que choram aterrorizados, temendo ser torturados. É desgarrador…uma coisa é contar a outra é vivenciar”.

As versões sobre o que passaram esses animais ultrapassaram a razão e esbarraram em crenças mitológicas muito enraizadas nesta região do país, que crê que durante o período de Carnaval reinam outras forças.

Tradução de Adriana Shinoda

Fonte: El Tribuno 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.