No Entorno do DF, Procon flagra animais mantidos em gaiolas lotadas e sem alimentação

Órgão também constatou venda de produtos vencidos em casa agropecuária; já em Alexânia, posto de combustível teve bomba interditada por vender gasolina adulterada.

583
No Entorno do DF, Procon flagra animais mantidos em gaiolas lotadas e sem alimentação
Fotos serão encaminhadas ao Conselho de Medicina Veterinária (Fotos: Procon Goiás)

O Procon Goiás realizou, nesta sexta-feira (7/4) e sábado (8), uma fiscalização nas cidades do Entorno do Distrito Federal. A ação buscou constatar irregularidades em diversos estabelecimentos comerciais como casa agropecuária, óticas e postos de combustível.

Em uma casa agropecuária, o órgão de defesa do consumidor verificou a venda de rações, medicamentos e insumos fora do prazo de validade, sem origem e data de fabricação. Também foram flagrados animais que seriam comercializados em condições inadequadas: gaiolas sujas e lotadas e mantidos sem higiene e alimentação.

Todos os produtos irregulares foram apreendidos e o estabelecimento foi autuado por infringir as normas de defesa do consumidor. Além disso, os documentos e fotos dos animais serão encaminhados ao Conselho Regional de Medicina Veterinária para que o órgão tome as providências cabíveis.

Outros estabelecimentos

Durante o fim de semana o Procon detectou infrações cometidas por outros estabelecimentos. Em óticas visitadas,  a ação constatou a exposição de produtos sem respectivos preços ao consumidor, a falta de exemplares do Código de Defesa do Consumidor, bem como a falta dos cartazes contendo o telefone do PROCON Goiás. As óticas têm dez dias, a contar da notificação, para apresentar defesa junto ao Procon.

Bomba foi interditada

Já em quatro postos de combustível de Alexânia e Abadiânia visitados constatou-se a ausência de alvarás da Vigilância Sanitária e do Corpo de Bombeiros. Além disso, um dos estabelecimentos de Alexânia vendia gasolina adulteradas. Os bicos com o combustível irregular foram lacrados e o estabelecimento foi autuado.

Os postos notificados terão o prazo de trinta dias, a contar da notificação, para apresentar os documentos de outorga válidos. (Informações da Assessoria de Imprensa do Procon Goiás)

Por Amanda Damasceno 

Fonte: Jornal Opção 


Nota do Olhar Animal: Só o fim do consumo realmente gera “bem-estar” aos animais. Um animal que é morto bem não está, certamente. E os métodos de produção animal enganosos em relação aos cuidados com os animais não cumprem nem aquilo a que se propõe.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.