Nova York deve ser o próximo estado americano a aderir ao movimento fur free

Nova York deve ser o próximo estado americano a aderir ao movimento fur free

O cerco está fechando cada vez mais para a indústria da pele: após marcas como Burberry, Versace, Gucci, Armani, Coach e tantas outras abolirem o material de suas coleções, a semana de moda de Londres tornar-se oficialmente fur free e cidades como Los Angeles e São Francisco proibirem não só a venda como a produção de peças de pele animal de suas regiões, Nova York está prestes a se unir à causa.

Linda Rosenthal, vereadora da cidade de Nova York, deu entrada em um projeto de lei que visa proibir a produção e venda de pele animal em todo o estado de Nova York até 2021.

Para ela, o clima atual, que alia a opinião pública contra o uso de pele e uma visão cada vez mais ética de clientes que buscam comprar de forma sustentável, é a oportunidade perfeita para introduzir a lei: “Cada vez mais, consumidores estão buscando comprar de forma ética e sustentável – pele não é nenhuma das duas coisas. O mercado da pele tem em seu núcleo a violência animal, esta incompatível com nossa crença moderna de que animais são companheiros dos seres humanos e seres com sentimentos”, afirma Linda Rosenthal em seu projeto de lei.

Atualmente no estado de Nova York, há 130 criadouros de animais para a produção de pele. Enquanto isso, a Humane Society estima que mais de 100 milhões de animais morrem a cada ano por sua pele.

Fonte: Vogue

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.