Fotos: Kangaroo the Movie/Facebook

Novo documentário revela o abate e a exploração em massa do querido canguru da Austrália

Quando você pensa na Austrália, algumas coisas provavelmente vêm à mente primeiro. Talvez a Sydney Opera House, imagens de praias exuberantes e o icônico Australian Outback, vastas planícies que se estendem para o que parece ser para sempre. A Austrália também está repleta de vida selvagem diversificada, incluindo coalas, wallabies, dingos… e, claro, cangurus.

O canguru é o animal oficial da Austrália e está intrinsecamente ligado à cultura da nação. As imagens de cangurus são usadas com frequência por equipes esportivas, grandes empresas e lembranças turísticas. O canguru é um animal amado que cruzou o interior plano e nativo do país durante milhares de anos.

Apesar da admiração pelo marsupial, a Austrália mantém um segredo obscuro. Na noite escura, em áreas onde ninguém pode ver, três a quatro milhões de cangurus são mortos todos os anos no maior abate em terra de animais selvagens no mundo. E agora, graças ao documentário revelador, Kangaroo, milhares serão agora expostos à verdade.

O lado sombrio da Austrália

Mick McIntyre e Kate McIntyre Clere, os produtores, escritores e diretores de Kangaroo, queriam chegar ao coração desse relacionamento de amor e ódio e se apresentaram para entrevistar figuras proeminentes de ambos os lados do problema. Como mostra o documentário, essa questão complexa é uma sobre as quais as pessoas precisam começar a falar.

Para os fazendeiros, os cangurus são vistos como nada além de pragas, muitas vezes chamados de vermes, porque acredita-se que os cangurus competem com as ovelhas. Foi provado que os cangurus não competem com ovelhas, no entanto, todos os anos, os fazendeiros recebem permissões do governo australiano para matar até mil cangurus (a qualquer momento que desejem) para o que é chamado de “mitigação de pragas”. Os fazendeiros também podem obter licenças comerciais para que caçadores de cangurus profissionais entrem em suas fazendas e matem os animais.

Os que são a favor de matar cangurus insistem que eles não estão sofrendo desnecessariamente, mas, como o Kangaroo expõe, a maior parte das caçadas não oferece nada além de uma crueldade imensa. Muitas vezes, o caçador erra e o canguru é deixado agonizando de dor, às vezes por semanas, antes de morrer. Para os cangurus fêmeas com “joey”, que é o bebê canguru, seu destino é tão triste quanto. Depois que sua mãe é brutalmente atingida, o joey é arrancado da bolsa materna e os caçadores às vezes matam os bebês esmagando sua cabeça contra seus caminhões.

“Nós temos um animal icônico, que é um dos animais mais preciosos da Austrália e estamos defendendo a destruição de seus cérebros contra uma rocha. Isso não pode ser a coisa certa a se fazer no século XXI, no meu entendimento”, disse o professor Clive Phillips, da Animal Welfare University of Queensland.

A sanção do governo para o abate anual de cangurus pode ser defendida com motivos como o controle de pragas, mas, na realidade, as caçadas de cangurus sustentam uma indústria de milhões de dólares. A carne é usada para alimentos de animais de estimação, para consumo humano, bem como para produtos de couro, como bolas de futebol e calçados esportivos. Buscando lucro, a indústria de cangurus também vende a carne e o couro para todo o mundo (há alguns anos, a Gucci lançou uma coleção com pele de canguru, que foi apropriadamente recebida com indignação pelos defensores do bem-estar animal). Não somente o consumo de carne de canguru apoia a indústria cruel, a carne também representa altos riscos para a saúde. Vários estudos mostraram que a carne é frequentemente contaminada com altos níveis de E. Coli e Salmonella.

Devido às indústrias de carne e couro de canguru, aos atropelamentos e ao tiroteio recreativo, os cangurus estão em perigo. As populações do canguru cinza oriental, por exemplo, caíram 90% nos últimos anos devido ao desmatamento das florestas da área. “Os dados da fiscalização bruta do governo mostram que as amplas paisagens agora estão significativamente exauridas de cangurus; agora é hora de avaliar cuidadosamente o que está acontecendo com os cangurus”, disse a senadora Lee Rhiannon, do partido Australian Greens, em Kangaroo. Em apenas alguns anos, a Austrália conseguiu exterminar seis espécies de cangurus, sendo 17 classificadas como ameaçadas ou vulneráveis.

Apesar do relacionamento complexo da Austrália com os cangurus, nós, como seres humanos, ainda temos a obrigação de proteger as espécies com quem compartilhamos este planeta. É hora de a Austrália reconhecer isso.

O que você pode fazer

Kangaroo tem um foco muito necessário sobre a morte sem sentido de milhões de cangurus a cada ano. Para encontrar uma sessão perto de você, confira o site do filme. Se você não encontrar uma perto de você, considere apresentar a sua própria! Convide seus amigos, familiares e membros da comunidade local para participarem da sessão. Quanto mais pessoas souberem sobre o problema, melhor!

Você também pode ajudar os cangurus, evitando comprar produtos feitos com eles. Os residentes do Reino Unido fizeram um protesto contra a indústria, a maioria dos supermercados retirou a carne de canguru das prateleiras. A Rússia interrompeu sua importação em 2009 devido aos altos níveis de E. Coli e Salmonella encontrados na carne e a Califórnia restabeleceu a proibição no ano passado em torno de circunstâncias controversas. Nós, cidadãos conscientizados, juntos podemos criar mudanças!

KANGAROO (2017)

Publicado por Kangaroo em Segunda, 4 de dezembro de 2017

Por Michelle Neff / Tradução de Ana Carolina Figueiredo

Fonte: One Green Planet


Nota do Olhar Animal: Mais do que o decréscimo de populações de cangurus ou do que qualquer razão ecologista, estes animais sencientes sofrem e têm suas vidas injustamente abreviadas. E a violência contra cada um destes seres importa, sejam poucos ou muitos os indivíduos da espécie.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.