Número de animais abandonados em Umuarama (PR) mostra que abrigo de ONG atingiu seu limite

Eles estão por toda parte, numa luta cruel pela sobrevivência. É de cortar o coração. A população de cães abandonados vem aumentando nas ruas de Umuarama e a situação pode piorar devido a superlotação no canil da Sociedade de Amparo aos Animais, a Saau.

Segundo a presidente da ONG, Ana Maria Polaquini, uma média de 100 animais chega mensalmente no local e apenas 25 saem para adoção. O resultado são espaços sempre cheios, o que obriga a Saau a pedir a ajuda da comunidade para suprir os estoques de alimentos.

A superlotação tem obrigado os voluntários e funcionários a dar preferência para os casos de maior gravidade, como animais feridos ou muito doentes. “É muito difícil. Não podemos atender a todos, mas também não queremos deixar na rua”, explica Ana Maria.

Segundo ela, a solução, ou parte dela, seria os donos dos bichinhos colocarem a mão na consciência e entender que os animais sentem dores, fome e carência de afeto assim como nós, humanos.

A Saau tenta se virar como pode. Uma das próximas ações para conseguir dinheiro será a rifa de um iphone 7, obtido através de doação. Cada número está sendo vendido por R$ 10, valor insignificante perto dos benefícios que vão gerar.

A ideia é utilizar o valor obtido para a construção de novos espaços. De acordo com Ana Maria, pelo menos 60 animais estão fora dos canis, em áreas improvisadas. “Nós queremos fazer mais e todo tipo de ajuda é bem-vinda”, ressalta.

Adoção

Para adotar cães e gatos na Saau é preciso ter mais de 18 anos e apresentar RG, CPF e comprovante de residência. A exigência é para garantir uma mínima segurança de que os animais serão bem tratados, porque há um serviço de acompanhamento posterior por parte dos voluntários.

A ONG está localizada na PR-482, saída para Maria Helena. Há dois fones para atendimento: (44) 99945-8902 e (44) 98432-8357.

Doações

Há várias maneiras de fazer doações para a Saau. Algumas empresas da cidade mantêm parceria para a entrega direta de ração. O doador deixa o produto pago e as equipes da ONG passam para a retirada.

Há também o sistema de depósito de notas fiscais, sem a identificação do CPF, nas urnas espalhadas em diversos estabelecimentos comerciais parceiros. E, ainda, o repasse de dinheiro, via cartões de crédito ou débito e boleto bancário, através do site www.saau.com.br.

Fonte: Massa News (colaboração O Bemdito)

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.