Diferentes incidentes com elefantes já foram registrados por causa do turismo selvagem (Foto: Max Pixel)

O impacto do turismo selvagem em elefantes

Turistas em safári estão prejudicando a saúde dos elefantes, assustando-os, estressando-os e tornando-os mais violentos em relação às pessoas e aos outros, diz uma nova pesquisa. Os rebanhos se retiram de onde estão descansando ou se alimentando quando grupos de turistas aparecem em jipes e tiram fotos. E os elefantes são mais propensos a serem agressivos com outros membros do grupo quando um grande número de pessoas está por perto, descobriu o estudo de 15 meses na África do Sul.

A autora principal do estudo, Isabelle Szott, da Universidade John Moores, de Liverpool, disse que a agressividade nos elefantes aumentou paralelamente à pressão turística, com machos mais propensos do que as fêmeas.

“Os turistas que desejam observar animais em seu habitat natural devem estar cientes de seus potenciais efeitos negativos no bem-estar animal. A pesquisa deve investigar os padrões de melhores práticas para minimizar esses efeitos negativos”, disse Szott.

Observar os elefantes em estado selvagem tornou-se cada vez mais popular entre os turistas, à medida que cresce a consciência da crueldade de montar os animais. Elefantes em cativeiro treinados com ganchos para dar passeios ou realizar truques frequentemente desenvolvem estresse pós-traumático.

No ano passado, uma turista alemã foi pisoteado até a morte por um elefante enquanto tentava fotografá-lo no Zimbábue. A mulher estava em um grupo de turistas que encontrou um rebanho no Parque Nacional de Mana Pools. Em 2017, um elefante treinado foi morto a tiros depois de atropelar fatalmente um guia turístico no resort turístico zimbabuense Victoria Falls. Outro homem local foi morto em um incidente separado após tentar expulsar os elefantes para tirar fotos.

Uma tendência para tirar selfies com elefantes selvagens no estado de Orissa, no leste da Índia, também levou a uma série de ataques fatais. Autoridades acreditam que tais incidentes estão aumentando. Outras pessoas sofreram ferimentos graves enquanto tiravam selfies com elefantes. Estudos anteriores descobriram que o turismo da vida silvestre causa medo, alerta, agressividade, vigilância e comportamento de estresse em animais, incluindo rinocerontes.

Szott, cuja pesquisa foi publicada no Journal of Zoology, disse que os elefantes em poças d’água poderiam experimentar frustração e estresse, além de serem alvos de outros membros do rebanho, aumentando o risco de agressão contra pessoas em veículos. “Sugerimos que uma distância mínima consistente, do indivíduo mais próximo, especialmente na primeira abordagem, deve ser introduzida nas diretrizes para observação da vida selvagem para aliviar o potencial de conflito”, disse ela.

Audrey Delsink, chefe de vida selvagem da Humane Society International na África, disse ao Independent: “O estresse pode ser causado aos animais se o guia ou turistas se aproximam demais dos elefantes, entre fêmeas e bezerros ou cortando rotas de saída. tipo de comportamento irresponsável por parte das pessoas que encoraja respostas negativas em elefantes”.

Fonte: Opinião & Notícia

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.