ONG e órgãos públicos atuam em casos de maus-tratos a cães em Alta Floresta, MT

ONG e órgãos públicos atuam em casos de maus-tratos a cães em Alta Floresta, MT

Duas denúncias de maus-tratos á animais mobilizaram a Polícia Militar, Polícia Civil, Vigilância Sanitária e Corpo de Bombeiros de Alta Floresta, além dos voluntários da ONG ‘Amamos Animais’ na tarde desta quarta-feira 21. As denúncias foram realizadas através do WhatsApp da ONG, que prontamente comunicou as autoridades e articulou uma pequena operação para aferir os fatos.

O primeiro local averiguado foi na Avenida Mato Grosso, onde foram encontrados ao menos sete cachorros, das raças Buldogue e Pug, sendo mantidos em condições totalmente irregulares. Neste caso, um veterinário de uma clínica particular do município foi acionado para avaliar a situação, e em vistoria no local, foi constatado um montante de irregularidades, sendo possível verificar que o espaço estava completamente sujo e inadequado para ter animais.

De acordo com Leir Ribeiro, membro do grupo solidário ‘Amamos Animais’, a vigilância já havia notificado o proprietário em casos anteriores, e agora caberá multa. Além disso, a Polícia Civil de Alta Floresta instaurou um termo circunstanciado de ocorrência, onde o proprietário dos animais deverá ser ouvido, bem como os integrantes da ONG. “É para as pessoas ficarem alerta, pois tem o grupo que cuida dos animais, e se nós recebemos denúncia, á polícia esta do nosso lado e nos vamos em cima sim”, disse Lair que ressaltando a realização de um ofício feito pelo Sargento do Corpo de Bombeiros Luiz Fabio, com todos os órgãos competentes para que tudo fique dentro da legalidade, com a ajuda da justiça.

O segundo caso ocorreu próximo ao Aeroporto Municipal, onde havia a denúncia de que um animal estava sendo mantido em condições inadequadas. Na residência foi encontrado um cachorro em baixo de uma árvore, sem água e em condições precárias. Segundo Leir, este caso chama a atenção, devido á proprietária ser funcionária pública em uma Unidade Básica de Saúde do município. Nesta situação houve também o registro da ocorrência na Delegacia Municipal e a dona do animal deverá ser chamada. A Vigilância Sanitária também emitiu notificação a proprietária. “A gente precisa que se crie um centro de zoonoses aqui em Alta Floresta, porque ontem chegamos de frente com essas situações e a gente chegou á conclusão que não tínhamos para onde levar estes animais”, concluiu Leir em entrevista para a reportagem do Jornal O Diário.

Por Bruno Felipe

Fonte: Diário News

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.