ONG faz campanha para transferir elefanta resgatada em circo no Chile para santuário em MT

637
Ramba foi resgatada em um circo e vive no Chile (Foto: Santuário do Elefantes Brasil/Divulgação)
Ramba foi resgatada em um circo e vive no Chile (Foto: Santuário do Elefantes Brasil/Divulgação)

A Associação Santuário de Elefantes Brasil iniciou na internet uma campanha para custear o transporte da elefanta Ramba para o primeiro santuário de elefantes da América Latina, que fica em Chapada dos Guimarães, a 65 km de Cuiabá. Resgatada de um circo no Chile em 1997, Ramba deve ser a nova moradora do santuário, que já tem Guida e Maia como moradoras.

Ao todo, a entidade prevê um gasto de R$ 800 mil com o transporte do animal, qeu atualmente mora num zoológico no Chile. O transporte deve ser feito de avião e as doações podem ser feitas no site da associação.

Ramba é conhecida como a última elefanta de circo do Chile. Não se sabe ao certo a idade dela. No entanto, estima-se que ela tenha, aproximadamente, 50 anos. Ela foi apreendida por questões relacionadas a abuso e negligência. Apesar de ter sido “confiscada”, ela continuou morando com o circo.

“Chegamos a tentar mandá-la para um santuário no Tenessee (Estados Unidos), mas não deu certo. Assim que a documentação dela ficar pronta e arrecadarmos o dinheiro, ela deve ser transferida para o santuário em Chapada dos Guimarães”, afirmou Junia Machado, presidente do santuário.

Ramba foi resgatada em um circo e vive no Chile (Foto: Santuário do Elefantes Brasil/Divulgação)
Ramba foi resgatada em um circo e vive no Chile (Foto: Santuário do Elefantes Brasil/Divulgação)

Em 2011, ela foi levada para zoológico em Racangua, uma província chilena, após esforços de uma instituição daquele país. Quando foi levada, Ramba tinha cicatrizes e abscessos pelo corpo. As marcas, segundo a associação foram causadas por ferramentas de metal usada para ferir os animais durante o treinamento para o show circense.

O rigoroso inverno chileno, com temperaturas abaixo de 0ºC, tem feito com que Ramba tenha dificuldade para se aquecer. As temperaturas no santutário em Mato Grosso, são amenas e dentro da faixa dos atuais habitats dos elefantes.

Maia e Guida foram transportadas em caixas de metal (Foto: Divulgação)
Maia e Guida foram transportadas em caixas de metal (Foto: Divulgação)

O transporte

Devido à localização do Parque Safári, em Rancágua, no Chile, atrás da Cordilheira dos Andes, o transporte de Ramba deve ser feito avião.

A caixa de transporte já foi construída e usada pelas outras moradoras em 2016, mas terá que ser reformada para caber no avião. A caixa será colocada no local onde Ramba vive para que ela se acostume a entrar e ficar dentro dela confortavelmente.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.