ONG faz campanha para tratamento de cão que ficou cego após ser espancado, no Amapá

Dinheiro vai custear alimentação especial, internação e cirurgia. Animal foi agredido na terça-feira (11), no bairro Congós; caso será registrado na polícia, diz ONG.

2357
ONG faz campanha para tratamento de cão que ficou cego após ser espancado, no Amapá
"Diego" passou por cirurgia e precisa de alimentação especial (Foto: Victor Hugo Fernandes/Arquivo Pessoal)

A Unidade de Proteção ao Animal Costelinha (Upac) está fazendo uma campanha para pagar o tratamento do cachorro “Diego”, que perdeu a visão nos dois olhos após supostamente ser espancado a pauladas, na terça-feira (11) no bairro Congós, na Zona Sul de Macapá. O membro da ONG, Victor Hugo Fernandes, iniciou uma mobilização na internet, por meio de redes sociais.

Após ser recolhido da rua, o cão foi levado a um veterinário para receber atendimento. Ainda na terça-feira ele passou por cirurgia para a retirada dos olhos e ficou em coma induzido. Um dos olhos foi perfurado e o outro chegou a saltar do rosto.

O Vitor Hugo informou que além de custear a cirurgia, que teve valor aproximado de R$ 1 mil e a internação diária na clínica, no valor de R$ 170, o dinheiro arrecadado vai ser usado para a compra de uma alimentação especial para o cãozinho, na qual a lata de 280 gramas custa R$ 50. Em dois dias a campanha, que é contínua, já arrecadou mais de R$ 1,2 mil.

Animal foi resgatado na terça-feira (11) na Zona Sul de Macapá (Foto: Reprodução/Facebook)

“Ele precisa de pelo menos 3 latas por dia para ficar alimentado adequadamente. Infelizmente o nosso amigo perdeu os dois olhinhos e está se recuperando dos graves ferimentos. Precisamos pagar as internações na clínica e custear alimentação especial para o mesmo. Por enquanto ainda não se sabe quanto tempo irá durar o tratamento. Por isso a campanha vai continuar”, disse Fernandes.

O animal conseguiu se alimentar, mas continua assustado e tomando remédios. Em repouso, o quadro clínico de Diego ainda é crítico e não tem previsão de alta. O agressor não foi identificado, mas testemunhas relataram que viram um homem desferindo golpes no cachorro com pedaço de perna-manca, segundo Victor Hugo.

A Upac informou que está atrás de imagens de câmeras de segurança que tenham registrado o crime, que aconteceu na rua Claudomiro de Moraes, de esquina com a 8ª Avenida. Assim que tiver provas necessárias, um boletim de ocorrência deve ser registrado na Delegacia do Meio Ambiente, segundo o voluntário.

Por Jéssica Alves

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.