Ong que encerrou atividades ainda procura lar para nove animais em Cruzeiro do Sul, AC

722
Animais ainda aguardam novos donos para que não voltem para as ruas (Foto: Divulgação/Ong Amor Vira-lata)
Animais ainda aguardam novos donos para que não voltem para as ruas (Foto: Divulgação/Ong Amor Vira-lata)

Após anunciar que fecharia as portas, a Ong Amor Vira-Lata, em Cruzeiro do Sul fez uma feira de adoção para encontrar lar para os animais que estavam sob responsabilidade da organização. Neste sábado (14) a feira finalizou e conseguiu arrumar um lar para 14 animais, mas nove ainda continuam sem destino. A ong encerrou as atividades por conta da falta de recursos para continuar com a manutenção.

Idaianes França, uma das responsáveis pela ong disse que apesar do sucesso das doações, a preocupação com os animais que restaram só aumenta. “A gente não tem muito pra fazer, se não forem adotados, vamos ter que soltar eles na rua e não queremos isso”, disse.

Dos 14 que haviam sido adotados dois foram devolvidos novamente à ong. “Acontece de a pessoa devolver o animal, mas a maioria dos casos a gente encontra o animal largado na rua mesmo, ou seja, adotam para soltar na rua, infelizmente”, contou Idaines.

A maior preocupação de Idaianes é que os animais que não foram adotados na feira apresentam algum tipo de deficiência e não tenham condições de sobreviver nas ruas. “Nossa maior preocupação é um que é ceguinho e uma que tem uma deficiência na pata, então, é muito complicado para eles serem soltos na rua”, conta.

Apesar do final da feira, as pessoas que estiverem interessadas podem procurar a sede da ong, no bairro Aeroporto Velho, até o dia 24 de outubro, quando a casa será entregue à proprietária.

Sobre a ong

A ong existe desde 2013. Neste período, o local abrigou ao menos 300 animais que foram destinados à adoção. Em janeiro deste ano alguns dos mantenedores mudaram da cidade e, desde então, a ong vem passando por dificuldades para arcar com as despesas com medicamentos, ração, aluguel e funcionário – um custo que chega a R$ 5 mil por mês.

Por Anny Barbosa

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.