ONGs e abrigos de animais devem se cadastrar em Fortaleza, CE; saiba o que é preciso

Os representantes das instituições devem comparecer à sede da Coepa até o próximo dia 8 de fevereiro.

271
Medida integra pacote de medidas de proteção animal (Foto: Deivyson Teixeira / O POVO / 2014)
Medida integra pacote de medidas de proteção animal (Foto: Deivyson Teixeira / O POVO / 2014)

Começa nesta segunda-feira, 22, o cadastramento de ONGs e abrigos de animais de Fortaleza na Coordenadoria Especial de Proteção e Bem-Estar Animal (Coepa). Medida tem como objetivo avaliar a situação das instituições para a elaboração de estratégias e políticas públicas.

Os representantes dos abrigos devem comparecer à sede da Coepa até o próximo dia 8 de fevereiro. No último dia 13, a prefeitura anunciou um pacote de medidas de proteção animal, entre elas a implantação de chips em cães e gatos para evitar o abandono de animais domésticos e a ampliação do Abrigo São Lázaro.

Saiba o que é necessário para realizar o cadastramento:

Quem deve se cadastrar

Todas as redes de proteção animal que forem legalizadas ou que estiverem em processo de formalização.

Por que é importante me cadastrar

O cadastramento vai ajudar a elaborar um censo de quantos animais abandonados vivem em Fortaleza, além de definir quantos abrigos existem e qual a realidade de cada um. Iniciativa pretende ajudar as instituições a cuidarem desses animais até que sejam adotados.

O que levar

As entidades legalizadas devem levar o número do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) e o estatuto social da empresa. Caso funcione informalmente, deverá ser feita a formalização com o auxílio da Ordem dos Advogados do Brasil Secção Ceará (OAB-CE); Conselho Regional de Contabilidade do Ceará (CRC-CE) e Conselho Regional de Administração do Ceará (CRA-CE).

Quando fazer

O cadastramento ocorre entre os dias 22 de janeiro e 8 de fevereiro de 2018, das 8 às 11h30 e das 13 às 16h30 min.

Onde fazer

Avenida Pontes Vieira, 2391, no bairro Dionísio Torre.

Como tirar outras dúvidas

Por meio do telefone (85) 3272-3356

Fonte: O Povo

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.