Cerca de 30 casinhas foram espalhadas por diferentes bairros de Passo Fundo (Foto: Reprodução/RBS TV)

Para incentivar adoções, voluntários espalham casinhas para animais de rua em Passo Fundo, RS

O número de cães e gatos nas ruas de qualquer cidade geram preocupação, ainda mais em um período de frio, quando os animais sofrem com a falta de abrigo. Em Passo Fundo, no Norte do estado, um grupo de voluntários se mobiliza para amenizar essa situação.

VÍDEO: Projeto comunitário produz casinhas de cachorro em Passo Fundo

Djonny Furlan é um desses voluntários. Ele aproveitou a experiência de mais de 20 anos como marceneiro para construir casinhas.

“Como os cães abandonados vinham se acolher embaixo da aba da nossa casa, a gente resolveu fazer uma casinha para ele”, conta, detalhando que usa madeira e caixas de leite doadas para construir os abrigos.

Aos poucos a ideia foi se espalhando por outras vizinhanças. Após cerca de um ano, mais de 30 casinhas foram espalhadas por diferentes bairros da cidade.

Os moradores ficam responsáveis pela limpeza e cuidados com os cães da comunidade. “Eu me dedico para eles quase que integralmente, o dia inteiro. Tenho cinco em casa, daí cuido desses aqui da rua”, conta a aposentada Estela Vanzo Fornasier.

“Boto água limpinha. Os cachorrinhos são todos bem tratados, vacinados, castrados, então é tranquilo cuidar deles”, afirma Estela.

O projeto é divulgado pelas redes sociais, por onde também são procurados voluntários. A regra número um é que as casinhas sejam colocadas onde existe garantia de que alguém cuidará dos animais.

“Essa pessoa é responsável por alimentá-lo, por trocar água, que tem que ser trocada diariamente, pelas vacinas do cão, por castrar, e pela manutenção da casinha”, afirma a secretária Claudete Mello.

Expansão responsável

Segundo Claudette, a responsabilidade do cuidado com os animais garante que o projeto funcione. Com isso, já planeja uma expansão. “A gente pretende instalar em torno de 100 casinhas nas comunidades mais carentes”, projeta.

A ideia, no entanto, é de que os animais sejam abrigados nas casinhas apenas de forma temporária, para que possam encontrar um lar.

“Percebemos que eles estão bem felizes, porque quando chove eles têm o cantinho deles para ir. Procuramos castrar todos, vacinar. Agora tem bem menos cães do que a gente tinha há uma semana, e a nossa expectativa é continuar doando para que eles não fiquem aqui, porque aqui é provisório para eles”, acrescenta Claudette.

Não existe legislação específica em Passo Fundo para a instalação desse tipo de casinhas. A Secretaria de Transportes e Serviços Gerais orienta que a prefeitura seja procurada para que haja uma avaliação, para evitar problemas.

Além das casinhas, moradores ficam responsáveis pelo bem-estar dos animais (Foto: Reprodução/RBS TV)
Além das casinhas, moradores ficam responsáveis pelo bem-estar dos animais (Foto: Reprodução/RBS TV)

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *