“Paraíso dos Gatos” estará recuperado da passagem de tufão até ao fim do mês, diz presidente da Anima

165
“Paraíso dos Gatos” estará recuperado da passagem de tufão até ao fim do mês, diz presidente da Anima
“Paraíso dos Gatos” estará recuperado da passagem de tufão até ao fim do mês, diz presidente da Anima

A operadora de jogo Sands China vai cobrir os custos da empreitada de reparação do espaço da Anima – Sociedade Protectora dos Animais de Macau que acolhe gatos abandonados. As instalações, situadas em Coloane, ficaram destruídas com a passagem do tufão Hato. O presidente da Anima, Albano Martins, continua preocupado com os estragos causados pela tempestade ao abrigo destinado a cães e revelou que vai pedir apoio financeiro à operadora de jogo Wynn.

Os trabalhos de reparação do “Paraíso dos Gatos”, em Coloane, já arrancaram e a previsão é que o espaço – criado pela Anima em Novembro do ano passado e destinado a gatos abandonados – fique pronto no final deste mês. Depois da destruição provocada pelo tufão Hato e do grupo de defesa dos direitos dos animais ter feito um apelo público, a Sands China mostrou interesse em ajudar na reabilitação do espaço, não apenas monetariamente, mas também na condução das obras. A Anima tinha pedido uma ajuda monetária no valor de meio milhão de patacas à Fundação Macau, no final do mês passado.

“Já começaram a cortar as árvores que estavam em cima dos telhados na semana passada. No que diz respeito às obras propriamente ditas, está tudo praticamente preparado para eles começarem a fazer a parte final: a partir o telhado, a retirar o telhado e a fazer novas vedações… Esse trabalho ainda está em curso”, adiantou Albano Martins, presidente da Anima, ao PONTO FINAL.

De acordo com o dirigente, foi a própria operadora de jogo que fez a avaliação dos estragos, tendo a própria concessionária ficado com a cotação. A Anima pediu a ajuda da sociedade civil do território e foi “integrada no fundo criado pelo Sands para ajudar” as entidades afectadas pelo tufão.

Dos aproximadamente 300 gatos que se encontravam no abrigo a 23 de Agosto, cerca de oito dezenas fugiram no dia da tempestade. Alguns regressaram gradualmente às instalações, mas mais de três dezenas continuam por localizar:“Acredito que consigamos recuperar mais dez, mas não sei, eles é que decidem se querem vir ou não e na vila é muito difícil nós andarmos de casa em casa para sabermos onde estão os gatos”, contou Albano Martins. Os animais actualmente no abrigo “estão confinados às salas”.

Com a situação do “Paraíso dos Gatos” já encaminhada, Albano Martins mostra-se preocupado com o espaço que abriga os cães, também ele muito danificado com a passagem do tufão. Aqui, “as estimativas são à volta de um milhão a 1,2 milhões de patacas para reconstruir tudo”, depois da segunda avaliação feita pela Anima. O dirigente explicou que “os telhados estão em muito mau estado e as vedações estão muito partidas”: “Nós agora queremos ver se conseguimos convencer [a operadora] Wynn – que também criou um fundo – para nos ajudar a reparar o abrigo dos cães. (…) Na Segunda-feira [hoje] vamos mandar uma carta a pedir para nos ajudar a recuperar o abrigo dos cães. As árvores destruíram muita coisa”, revelou Albano Martins. O dirigente destaca que a situação se pode complicar mais ainda no final do corrente mês: “No final deste mês, a Anima fica sem dinheiro até ao final do ano. A Anima já não tem dinheiro para Outubro, Novembro e Dezembro. Estamos à espera de patrocínios mas ainda não chegaram. Há sempre alguém que adianta o dinheiro e muitas vezes sou eu”, remata.

Por Joana Figueira

Fonte: Ponto Final / mantida a grafia original

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.