Pessoas que fizeram churrasco de capivara podem pegar até 1 ano de prisão

A Polícia Ambiental e o Ibama estão tentando identificar os autores do crime, registrado em Fortaleza.

1989
O animal foi encontrado no Bairro Vila Velha (Foto: Reprodução)
O animal foi encontrado no Bairro Vila Velha (Foto: Reprodução)

O caso da capivara que foi maltratada e morta em Fortaleza está repercutindo com os órgãos que protegem animais. A crueldade que fizeram com o animal foi registrada em vídeo divulgado nas redes sociais. A Polícia Ambiental, juntamente com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), está tentando identificar os autores do crime.

O chefe da divisão técnica-ambiental do Ibama no Ceará, Muller Holanda, apontou crime ambiental. “As pessoas cometeram a infração do artigo 24 da Lei Ambiental. Essa espécie de animal não está em extinção, porém é animal silvestre e protegido por lei. Se forem identificados os autores do crime, receberão um processo judicial, e se condenados, podem ficar de 6 meses a 1 ano presos”, explica.

A capivara não é um animal natural do Ceará ou semi-árido brasileiro. Quando os bichos aparecem em locais não comuns, eles devem estar em criadouros autorizados ou serem vítimas de tráfico de animal silvestre.

“O resgate desse animal fica a cargo de órgãos oficiais, como Corpo de Bombeiros ou Semace. No caso dessa capivara, se ela fosse encaminhada para nós, levaríamos para o estado de Mato Grosso”, disse o profissional do Ibama.

O caso

Uma capivara foi achada no Bairro Vila Velha, em Fortaleza, no último final de semana. O animal silvestre acabou sendo morto por várias pessoas e virou churrasco.

De acordo com o guarda da Sociedade Protetora de Animais, o vídeo chegou até eles na segunda-feira (18) e mostrou a crueldade que fizeram com o animal. “Infelizmente, essa espécie é rara, e ele não foi protegido, ao contrário encurralaram o animal e mataram, cometendo um crime ambiental”, lamenta.

Fonte: Tribuna do Ceará

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.