PM apreende 207 aves em porta-malas em Lins (SP) e evita venda pela rede social em Bauru, SP

Homem que transportava os pássaros aglomerados em caixas estava foragido e foi multado em R$ 724,5 mil. No Mary Dota indivíduo tentava vender Jabutis pela Internet.

239
Em Lins, aves estavam aglomeradas no porta-malas (Foto: PM Ambiental / Divulgação)
Em Lins, aves estavam aglomeradas no porta-malas (Foto: PM Ambiental / Divulgação)

As Polícias Militar Rodoviária e Ambiental de Lins apreenderam, na madrugada desta quarta-feira (6), por volta das 3h, 207 aves silvestres que eram transportadas clandestinamente, na rodovia Marechal Rondon (SP-300), em Lins (102 quilômetros de Bauru). Os animais estavam em um Gol, com placas de Araraquara.

O homem de 44 anos que conduzia os pássaros em cativeiro, ilegalmente, no porta-malas, estava foragido da Justiça pelo crime de tráfico de drogas. Seu nome não foi revelado pela PM.

De acordo com a polícia, a abordagem inicial foi feita pela Polícia Militar Rodoviária, em frente à base do policiamento na Rondon, que fica em uma das entradas do município. Foram flagrados no interior do veículo 207 canários-da terra-verdadeiros, sem anilhas e aglomerados em oito caixas de madeira.

Equipes da Polícia Militar Ambiental de Lins compareceram ao local e realizaram autuação por infração ambiental no valor de R$ 724,5 mil, por manter as espécies em cativeiro e por maus-tratos. O homem foi preso e encaminhado a um dos presídios da região.

Jabutis estavam à venda pelas redes sociais, em Bauru (Fotos: PM Ambiental / Divulgação)

VENDAS PELA INTERNET

Em outro caso, desta vez em Bauru, a PM Ambiental interrompeu vendas ilegais de animais silvestres pela Internet, no Núcleo Mary Dota. O caso ocorreu nesta terça-feira, no final da tarde, por volta das 17h.

Após denúncias, a PM Ambiental de Bauru interceptou uma venda de dois jabutis Piranga, que era realizada por um homem de 36 anos, cuja identidade também não foi revelada pela polícia.

O indivíduo utilizava redes sociais e também foi multado, em R$ 1 mil. Ele responderá pelo crime ambiental em liberdade. Todos os animais apreendidos foram destinados para seus habitats naturais.

Por Bruno Freitas

Fonte: JCNET

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.