Animal resgatado durante farra do boi em Florianópolis. Prática é ilegal. (Foto: Divulgação/PM)

PM confirma 27 casos de farra do boi neste ano em SC; 14 pessoas foram presas e 21 animais apreendidos

Entre 1º de janeiro de 2018 e a manhã desta segunda-feira (2), a Polícia Militar registrou 117 ocorrências, sendo 27 confirmadas, de farra do boi em Santa Catarina, prática proibida no estado. Os casos foram registrados em sete cidades, sendo a maior parte em Florianópolis e Governador Celso Ramos. O balanço foi divulgado nesta segunda pela corporação.

No período analisado, 14 pessoas foram presas e 21 animais apreendidos. Uma das ocorrências resultou na morte de um homem de 37 anos em Governador Celso Ramos, no mês passado, depois de ter sido pisoteado.

Conforme a PM, houve aumento nos casos confirmados de farra do boi de 18,64% para 23,08% de 2017 para 2018, assim como na quantidade de ocorrências geradas, que passaram de 59 para 117. Teve também crescimento na apreensão de bois, de 3 para 21, e nas prisões: no ano passado, não houve nenhuma, enquanto neste ano foram 14.

Os dados do relatório da Agência Central de Inteligência (ACI) da PM são com base no Sistema de Atendimento e Despacho de Emergências (Sade). A pena prevista na lei federal que proíbe a prática é de três meses a um ano de detenção, e multa.

Nesse domingo, a PM apreendeu um animal usado para farra do boi no bairro Rio Tavares, em Florianópolis. Ninguém foi preso.

Confira abaixo as cidades:

Ocorrências Farra do Boi

Cidades Ocorrências Pessoas conduzidas Bois apreendidos
Balneário Camboriú 2 3 1
Bombinhas 2 0 1
Florianópolis 9 3 5
Gov. Celso Ramos 9 1 3
Itapema 2 2 1
Navegantes 1 0 8
Porto Belo 2 5 2
Total 27 14 21

Das 27 ocorrências confirmadas, 11 foram resolvidas no local, ou seja, não teve prisões de pessoas, confronto com os farristas ou apreensão de bovinos. Em seis ocorrências, porém, teve confronto, em 12 houve apreensão de bois e em cinco casos houve pessoas presas.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.