Polícia apreende 35 pássaros silvestres criados irregularmente no Norte do Piauí – Olhar Animal
Aves foram apreendidas juntamente com gaiolas e armadilhas no Norte do Piauí (Foto: Reprodução PRF)

Polícia apreende 35 pássaros silvestres criados irregularmente no Norte do Piauí

Cinco pessoas foram presas e 35 aves silvestres foram apreendidas na manhã desta quinta-feira (7) em Buriti dos Lopes, no norte do Piauí pela Polícia Rodoviária Federal. A PRF informou que as aves eram criadas de forma irregular. Os responsáveis pelos animais foram liberados após assinarem um Termo Circunstanciado de Ocorrência.

Foram fiscalizadas cinco residências. Em uma delas, foram encontradas nove aves, várias gaiolas vazias e armadilhas para captura dos animais. Os animais eram expostos em gaiolas nas paredes externas das residências ou em árvores em frente às residências dos proprietários.

O inspetor da PRF Carlos Augusto explicou que os presos deverão ser sentenciadas com multa por animal apreendido. “Isso ainda é um crime de menor potencial ofensivo, então a PRF faz um termo circunstancial de ocorrência, ela se compromete a comparecer em juízo e ai prestar informações e lá o juiz da uma punição a elas”, pontuou.

Polícia Rodoviária Federal apreendeu aves silvestres criadas irregularmente em Buriti dos Lopes, Norte do Piauí (Foto: Reprodução PRF)
Polícia Rodoviária Federal apreendeu aves silvestres criadas irregularmente em Buriti dos Lopes, Norte do Piauí (Foto: Reprodução PRF)

Inspetor da PRF Carlos Augusto explicou que a criação de animais nativos em cativeiro só é permitida sob circunstâncias específicas e autorização do Ibama. “Esses animais nativos são permitidos apenas se nascerem em cativeiro, se tiver um criador legal e reproduzir em cativeiro. Eles têm que ser anilhados pelo Ibama e, aí sim, permitir a criação deles”, esclareceu.

Os animais foram encaminhados para o Ibama onde serão lavradas as multas e feito os devidos procedimentos administrativos relacionados ao Crime Ambiental. Diretor substituto do Ibama de Parnaíba, Carlos Aragão explicou que os animais vão passar por uma triagem.

“Nós vamos primeiro fazer uma triagem em todos os animais para ver a situação deles e dependendo do caso, vamos realizar a soltura desses animais para que retornem ao habitat deles”, detalhou.

Por Kairo Amaral e Roberto Araujo, G1 PI

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.