Tartarugas foram encontradas desidratadas em três locais do município. (Foto: Divulgação/ Força Tática/Caracaraí)

Polícia apreende 49 tartarugas que seriam vendidas ilegalmente em Roraima

Uma denúncia anônima levou a Força Tática da Polícia Militar do município de Caracaraí, Sul de Roraima, a apreender 49 tartarugas que seriam comercializadas ilegalmente no estado. Um suspeito de 39 anos foi preso por crime ambiental.

De acordo com a polícia, a denúncia informava que no domingo (18), uma grande quantidade de quelônios desembarcou no município. Através de buscas na região, os agentes conseguiram localizar as tartarugas em três locais diferentes, além de duas malhadeiras, uma espécie de barco, que teriam sido usadas para capturar os répteis.

Ainda segundo a Polícia Militar, as tartarugas apresentavam sinais de desidratação, pois estavam um grande período fora da água.

Profissionais do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) foram chamados para dar apoio à captura dos animais. Segundo a polícia, eles foram recolhidos e devolvidos à natureza.

O homem, suspeito pelo crime ambiental, foi levado para a delegacia de Caracaraí para prestar esclarecimentos. Segundo a PM, ele já tem passagem pelo sistema prisional pelo mesmo crime.

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: O problema da venda de animais é a venda em si, não a origem do animal. Enquanto houver venda legal, haverá a ilegal. É um equívoco (muito conveniente a quem vende animais) achar que a permissão da venda de animais vai inibir o tráfico. Ao contrário, ela cria mais demanda e aumenta o interesse das pessoas em ter estes animais, mesmo que isto ocorra às custas de desrespeitar seus direitos mais básicos.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *