Polícia fará fiscalização nas lagoas contra maus-tratos a capivaras em Três Lagoas, MS

Animais foram encontrados feridos e moradores denunciam crime ambiental.

237
Foto: Divulgação/Assessoria
Foto: Divulgação/Assessoria

Após denúncias de crimes ambientais e polêmicas que envolvem os animais da Lagoa Maior, em Três Lagoas, a Polícia Militar Ambiental (PMA) vai reforçar a fiscalização no local. As outras duas lagoas, no município, também vão receber o monitoramento já nesta semana por equipes policiais.

Capivaras e jacarés são atrações das lagoas e cartão postal da cidade. Porém, nos últimos dias, foram registradas mortes de capivaras e denúncias feitas por moradores de supostos maus-tratos a esses animais, que atualmente somam mais de 150 somente na Lagoa Maior. Nas outras lagoas também há capivaras.

O objetivo da fiscalização é inibir qualquer tipo de crime ambiental nesses pontos. “Recebemos várias informações de que o crime é cometido no período da noite, madrugada. Pessoas estariam maltratando capivaras e o objetivo, agora, é identificar os agressores”, pontuou o secretário de municipal de Meio Ambiente, Celso Yamaguti.

A solicitação foi feita nesta quinta-feira (30) à PMA. “É importante que a população denuncie aos órgãos competentes, principalmente para a PMA, pois somente assim será possível uma ação rápida e direta. Mais que isso, se for possível e seguro, tirar foto e gravar vídeo da ação, pois isso colabora na investigação”, frisou.

Em julho deste ano, por exemplo, uma capivara foi resgatada da Lagoa Maior com diversos ferimentos e sangrando. O atendimento foi feito na sede da PMA e o animal encaminhado para Campo Grande.

Punição

Segundo o Artigo 32 da Lei n° 9.605/1998, praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos tem pena prevista de detenção, de três meses a um ano, e multa.

As denúncias podem ser feitas pelo telefone da PMA (67) 3929-1360 ou na Secretaria de Meio Ambiente: 3929-1249.

Por Kelly Martins

Fonte: JPNEWS

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.