Polícia investiga maus-tratos a cachorros em pet shop – Olhar Animal
Animais foram resgatados em operação da Polícia Civil - Foto: Polícia Civil l Divulgação

Polícia investiga maus-tratos a cachorros em pet shop

Investigadores da 16ª Delegacia (Pituba) cumpriram um mandado de busca e apreensão no Pet Shop Fun Dog Me, na Av. José Joaquim Seabra, na Baixa dos Sapateiros, em Salvador (BA), e resgataram 15 filhotes de cães das raças yorkshire e shih-tzu e duas cadelas adultas na manhã desta quinta-feira, 7. Eles receberam a informação de que os animais eram vítimas de maus-tratos.

De acordo com a delegada Maria Selma Lima, titular da 16ª DT, os animais foram encontrados sujos, molhados e em condições precárias. Os cachorros ficavam recolhidos nos fundos da loja, em um local frio, sujo e molhado. Os filhotes têm entre 15 dias e dois meses.

“Ex-funcionários registraram a ocorrência aqui e passamos a investigar. Quando tivemos a constatação dos fatos, solicitei ao juiz o mandado e, hoje (quinta-feira), fomos lá”, contou a titular.

Ainda segundo ela, a denúncia foi feita por dois veterinários que atuaram no pet shop. “Eles trabalhavam lá e foram verificando os maus-tratos. A dona da loja deixava os animais no frio e na água. Eles não suportaram ver a forma como eles eram tratados”, disse a delegada.

A dona do pet shop foi conduzida à delegacia, ouvida, assinou um termo circunstanciado de ocorrência (TCO) e foi liberada. Ela foi autuada por maus-tratos e vai responder a inquérito.

Para a delegada, é possível que a proprietária, que não teve o nome revelado, tenha sido informada sobre a ação da polícia, pois na denúncia consta que, além dos animais resgatados, mais de 20 cachorros, todos de raça, viviam no canil.

“Vou oficiar à Sucom [Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo do Município], algum órgão de saúde pública e de fiscalização de comércio para vistoria na loja”, declarou a delegada Maria Selma Lima. Segundo ela, o pet shop funciona de forma irregular, inclusive sem médico veterinário.

“Eles estão em um canil de uma veterinária e ficarão lá até sair a decisão judicial. Eles devem ser adotados, vamos ver como faremos uma adoção responsável”, disse a titular. A delegada afirmou que as investigações continuam e que já tem informação de onde os outros cachorros estão escondidos. A tutora dos animais contou, em depoimento, que o pet shop funciona há três anos.

Por Andrezza Moura

Fonte: A Tarde

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.