Foto: Divulgação

Polícia prende 12 pessoas e apreende animais silvestres durante operação em Eirunepé, AM

Doze pessoas foram presas em flagrante pela Polícia Civil durante o cumprimento de 16 mandados de prisão e de busca e apreensão em Eirunepé (a 1.160 quilômetros em linha reta da capital) entre quinta-feira (22) e esta sexta-feira (23). As diligências faziam parte da operação “Jejuardes”.

Conforme o delegado-geral adjunto, foram presos ao longo da operação Antônio Celio Cláudio da Silva, 40; Antônio Vagner Xavier, 33; Arlindo Lima de Freitas, 34; Aurivanio Feitosa Cláudio, 30; Enildo da Silva Gonsalves, 32; Francisco Boney Batista de Freitas, 42; Francisco das Chagas Lima Gonçalves, 42, conhecido como “Chaguinha”; Joede Lima Xavier, 22; Luiza Castro de Souza, 40; Maria de Jesus de Souza da Rocha, 27; Radson Rodrigues Azevedo, 33, e Romil Constante de Lima, 37, por envolvimento em crimes distintos.

Ao longo da ação, os policiais civis apreenderam dois rifles, 100 gramas de oxi, três motocicletas com restrição de roubo, 12 pássaros da espécie Curió e um macaco. De acordo com o delegado-geral adjunto da Polícia Civil, Antonio Chicre Neto, os animais possivelmente seriam trocados por entorpecentes ou comercializados em outros municípios do Estado.

O delegado-geral adjunto destacou que as drogas comercializadas em Eirunepé são oriundas do Peru e também são pulverizadas em outras cidades do Estado, como Ipixuna, Envira e, também, em Manaus.

“A maioria das substâncias ilícitas vendidas no município é de origem Peruana e é transportada pelo estado do Acre, entrando pelos municípios de Cruzeiro do Sul e Feijó, e distribuída para os municípios de Guajará, Ipixuna e Eirunepé, no Amazonas. Temos informações de que o município de Cruzeiro do Sul é o maior entreposto de drogas de origem peruana”, ressaltou Chicre Neto.

Simultaneamente à operação foram realizadas, também, blitze nas principais ruas do município, além de revista nas celas da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Eirunepé, que funciona como unidade prisional. Foram encontrados, em duas celas, dois buracos feitos pelos detentos (foto abaixo) que, de acordo com a autoridade policial, iriam ser utilizados para uma fuga em massa.

“As ordens judiciais, cumpridas ao longo da operação, eram em nomes de pessoas envolvidas com o tráfico de drogas e tráfico de animais silvestres. Nas celas da DIP de Eirunepé foram apreendidos vários objetos cortantes, celulares”, revelou o delegado-geral adjunto.

Antonio explicou que em Eirunepé a operação “Jejuardes” teve por objetivo o combate ao tráfico de drogas, associação criminosa, bem como roubos e furtos de veículos, além de crimes ambientais praticados naquele município.

Ao término dos procedimentos cabíveis, os infratores irão ficar custodiados na DIP de Eirunepé, à disposição da Justiça.

Efetivo

Para esta fase da operação “Jejuardes”, os trabalhos contaram com o reforço de policiais civis lotados nos gabinetes dos delegados-geral e geral adjunto, Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (Derfv), Departamento de Polícia do Interior (DPI) e DIP de Eirunepé. Servidores da Secretaria-Executiva-Adjunta de Inteligência (Seai), da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP–AM), e policiais militares que atuam naquele município também participaram da operação.

Operação “Jejuardes”

De acordo com Antonio Chicre Neto, a operação faz parte do plano operacional da SSP-AM, que consiste em realizar ações policiais tanto na capital como nos municípios do interior. A ação está sendo desencadeada no período da Quaresma, que este ano iniciou no dia 14 de fevereiro e segue até o dia 25 de março.

Além de Eirunepé, a operação “Jejuardes” já foi deflagrada nos municípios de Maués, Parintins, Lábrea, Coari e Careiro da Várzea. “Iremos continuar esse trabalho nos demais municípios do interior do Estado”, concluiu Antonio Chicre Neto.

*Com informações da assessoria de imprensa.

Fonte: A Crítica

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.