Polícia recebe laudos e deve investigar estupro de uma cadela em Cuiabá, MT

2041
Polícia recebe laudos e deve investigar estupro de uma cadela em Cuiabá, MT

A Polícia Civil confirma que já está com todos os laudos do caso do universitário Emerson Pedroso Fernandes, investigado por aparecer em uma filmagem onde pratica sexo com uma cadela. A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) confirmou que a análise no celular do suspeito que poderia indicar para um possível caso de zoofilia foi feita em maio. No entanto, a Politec já adiantou que a perícia no aparelho não deve contribuir em muito na investigação.

Os documentos estão com pedido de prazo pelo Ministério Público e após isso, os devidos andamentos serão dados. Com base nos laudos deve ser apurada se há a existência de um grupo de zoofilia após a conclusão dos exames realizados no celular do rapaz.

Na página das redes sociais de Emerson, alguns amigos publicaram mensagens de incentivo e força ao rapaz. Ele afirma que está arrependido do que fez. O jovem responde alguns comentários e afirma que no momento está na Argentina tentando reconstruir a vida.

No dia 18 de abril um vídeo publicado no Facebook mostrava o acusado abusando do animal, encontrado, segundo ele, na rua. O jovem aparece nas imagens com a cadela de nome branquinha e fala que o vídeo é para os amigos. O jovem se apresentou na Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema), no dia 24 de abril e foi preso.

Uma liminar proferida pela juíza Flávia Catarina, concedeu a liberdade a Emerson que deixou o Centro de Ressocialização de Cuiabá na noite de, 28 de abril. O estudante foi indiciado por crimes de maus tratos e associação criminosa.

A gravação ganhou repercussão e causou revolta na sociedade e em diversas Organizações Não-Governamentais (Ongs) de proteção aos animais. Uma das mobilizações foi organizada pelo sargento Juarez Vidal, protetor da causa animal. O sargento colheu mais de 10 mil assinaturas e levou a Dema. A ideia é que as assinaturas sirvam de subsídio para a bancada federal tornar zoofilia crime.

Leia mais

”O que vemos atualmente são leis muito brandas. A pessoa acaba pagando fiança, respondendo em liberdade e após pagando apenas penas pequenas, tipo serviços comunitários. Temos que mudar esta realidade”, disse Vidal.

O universitário contou ao delegado na época que começou a receber ameaças e teve a casa invadida e saqueada no Pedra 90. Outros animais estavam sob “responsabilidade” de Emerson, além da cadela branquinha que apareceu no vídeo e dois cães da raça lhasa apso que foram resgatados em seguida.

Por Aline Almeida

Fonte: Diário de Cuiabá

 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.