Portugal: PAN critica ‘pretenso intuito de entretenimento’ dos animais nos circos

O comentário de Miguel Chen sobre a lei de animais nos circos, que o empresário afirmou ser ditada por “lóbis”, esteve na base da reação do PAN. “Não há nada de maravilhoso em manter animais selvagens cativos” em nome do “pretenso intuito de entretenimento”, diz André Silva.

Os circos continuam a contestar a portaria de outubro de 2009 sobre os animais nos espectáculos circenses, mas há também quem conteste essa contestação. É o caso do Partido pelos Animais e pela Natureza (PAN), que emitiu um comunicado como resposta à entrevista que o responsável pelo circo Chen, Miguel Chen, concedeu hoje à agência Lusa.

“A lei acerca dos animais no circo, aprovada em 2009, está em linha com uma evolução civilizacional que se tem registado por todo o mundo e que assenta na noção de que estes animais são mantidos em condições indignas e altamente prejudiciais ao seu bem-estar físico e emocional”, argumentou o partido, num texto enviado à Lusa.

A nota refere “alguns exemplos” desses países que têm atualizado o quadro legal sobre o uso de animais em espetáculos circenses: Áustria, Costa Rica, Finlândia, Índia, Singapura e México.

De acordo com o porta-voz André Silva, citado no comunicado do PAN, “não há nada de maravilhoso em manter animais selvagens cativos, treiná-los para terem comportamentos antinaturais que lhes causam sofrimento, e expô-los durante alguns minutos a uma plateia, com o pretenso intuito de a entreter”.

E as touradas?

As declarações de Miguel Chen foram proferidas como um balanço aos cinco anos da portaria de outubro de 2009, que proíbe os circos de adquirirem novos animais. Afirmando que essa lei foi ditada por “lóbis”, o empresário circense lamentou que os circos sejam “os elos mais fracos”, lembrando que há animais que continuam a ser utilizados em espetáculos.

“Nós gostávamos também de nos juntar aos poderosos”, afirmou Miguel Chen, levantando algumas questões: “A questão das touradas? Nós somos pró touradas, temos de ser tratados é como são tratadas as touradas. Vivam as touradas, eu gosto de touros. E será que os golfinhos não são animais? Ou será que são só animais os do circo?”

Fonte: PT Jornal (Portugal) / mantida a grafia original 

Nota do Olhar Animal: Miguel Chen tem razão em um aspecto. E as touradas? E os animais utilizados em outros “espetáculos” grotescos, medievais, indecentes? Sim, Miguel Chen, o uso de animais em todos eles deve ser banido. Esta incoerência estará, assim, sanada de forma ética, civilizada.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.