Prefeitura cancela eutanásia em cães com leishmaniose em Porto Alegre, RS

803

Após polêmica entre defensores da causa animal e a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a prefeitura anulou a ordem de início de serviços publicada no começo de maio para executar eutanásia em até 300 cães com leishmaniose visceral canina. A questão gerou divergência dentro da própria gestão municipal, com a Secretaria Especial dos Direitos Animais (Seda) se posicionando contra a medida.

Na anulação, publicada na sexta-feira, no Diário Oficial de Porto Alegre (Dopa), o secretário da Saúde da Capital, Erno Harzheim, explica que o cancelamento do serviço se deve “ao contexto das repercussões sociais e jurídicas, principalmente com a ordem judicial proibindo o município de Porto Alegre de autorizar e/ou realizar a eutanásia”. O sacrifício se daria em animais albergados na Seda sob tutela da Vigilância Sanitária da SMS, bem como nos demais cachorros ainda sem diagnóstico científico comprovando serem portadores da patologia.

O serviço seria feito pela Clínica Animed, na zona Sul da Capital. Quatorze cães chegaram a ser transportados da sede da Seda, na Lomba do Pinheiro, para a clínica logo depois da publicação da ordem de início dos serviços. Devido a protestos de ativistas, contudo, os animais voltaram para o abrigo, e a eutanásia foi suspensa. Posteriormente, ação movida pela deputada estadual Regina Becker (Rede) proibiu, por liminar, as execuções. Desde então, o futuro dos cachorros estava indeterminado. –

Fonte: Jornal do Comércio


Nota do Olhar Animal: Parabéns aos ativistas que conseguiram esta vitória para os animais. Lembrando que não se aplica o termo “eutanásia” a este caso. Teria sido pura e simplesmente um EXTERMÍNIO, caso a prefeitura levasse a cabo essa medida repulsiva.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.