Professor promove aula beneficente de yoga para ajudar cães e gatos abandonados em RO

Professor promove aula beneficente de yoga para ajudar cães e gatos abandonados em RO

Um professor de yoga tem aliado, uma vez ao mês, a prática milenar de equilíbrio de corpo e mente para dar amor e solidariedade aos animais de um abrigo em Cacoal (RO), a 480 quilômetros de Porto Velho. Todo o dinheiro arrecado durante na aula beneficente é revertido para um abrigo que cuida de 50 cães e gatos resgatados das ruas da cidade.

O projeto, realizado pelo professor James Alencar, tem atraído pessoas de todas as idades, algumas, motivadas pelos benefícios que a prática proporciona, física, espiritual e mentalmente.

Vídeo:Yoga beneficente serão realizadas uma vez por mês em Cacoal

E foi por causa desses resultados que a psicóloga Deisi Ferraciolli começou a fazer as atividades de yoga, há cerca de quatro meses. Ela buscava a preparação para seu parto natural.

“A yoga é muito importante para a gestação. Além da questão da respiração, e autoconhecimento, ela ajuda muito na flexibilidade, e fortalecimento do assoalho pélvico para a gestante. Trabalha muito concentração, respiração, você tem domínio do seu corpo. Quando você conhece seus estímulos, controla em várias outras situações quando for preciso”, diz.

As aulas de yoga acontecem uma vez ao mês no parque Sabiá e não existe um valor específico a ser doado. As doações ficam a critério de cada um que decide apoiar a causa para o abrigo “Vira Lata, Vira Amor”.

E foi justamente o amor pelas quatro patas que a estudante Poliana Barros se interessou pelo projeto do professor. “É minha primeira aula, vamos ver como vai funcionar”, conta.

#Gratidão

A voluntária do abrigo de animais abandonados, Marinez dos Santos, destaca a importância da ação realizada pelo professor, que por meio da sua profissão, tem levado outras pessoas a contribuir com as atividades do local

“É fundamental esse projeto do professor. Ele falou que todo mês vai ficar fazendo esse projeto. Nós não temos condições nem o apoio. Sempre estamos devendo o veterinário, em questão de tratamento e medicamentos”, destaca ela.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.