Projeto arrecada fundos para ajudar cães doentes e especiais — Foto: Eduardo Palota/Arquivo pessoal

Projeto arrecada fundos para ajudar cães doentes e especiais que precisam de tratamento

Sejam vítimas de atropelamentos, maus-tratos ou malformações, o projeto “Amigos de Rodinhas” vem sendo realizado desde outubro deste ano para ajudar animais que precisam de algum tipo de atendimento médico veterinário ou procedimento.

A boa ação é realizada pela autônoma Mariana Camargo junto de duas amigas, Aline Prado e Luana Jotha. Elas possuem animais com necessidades especiais, que precisam do suporte de rodinhas para conseguir manter uma rotina.

O trio realiza uma rigorosa seleção para verificar qual animal será amparado, como o quadro clínico do animal e as condições financeiras do tutor, por meio de um questionário.

O objetivo do projeto é fazer com que os donos não desistam dos bichinhos por causa de doenças ou complicações, além de evitar que animais debilitados sejam abandonados. Até o momento, já foram assistidos cinco animais, que recebem auxílio até o dia da alta médica.

Troy e Olívia receberam cadeiras de rodas do projeto — Foto: Arquivo pessoal
Troy e Olívia receberam cadeiras de rodas do projeto — Foto: Arquivo pessoal

“É gratificante saber que estamos dando uma oportunidade de dar qualidade de vida para eles. Ajudar a fazer com que as pessoas não desistam deles”, conta Mariana.

Os animais ajudados até o momento foram cachorros, mas, segundo Mariana, a ideia é expandir o projeto para gatos e outros animais.

A arrecadação é feita pela internet. As três fundadoras divulgam nas redes sociais a história de cada animal e realizam uma rifa, que garante o dinheiro.

“A gente faz arrecadações e, com o valor arrecadado, a gente vai ajudando o dono a pagar consultas, viagens. Para isso, pegamos um produto, compramos uma cartela e soltamos nas redes sociais.”

Mariana ressalta que o trabalho realizado ainda é um projeto e não uma ONG. Por isso, ela ainda não faz o recolhimento de animais, apenas ajuda os tutores.

Câncer causou necrose nas patas do cão Max — Foto: Arquivo pessoal
Câncer causou necrose nas patas do cão Max — Foto: Arquivo pessoal

O primeiro animal ajudado financeiramente foi o Max. O cão teve um câncer e passou por uma cirurgia mal sucedida. O procedimento acarretou uma grave necrose, que atingiu as patas, o focinho e o rabo do animal.

Outro cachorro ajudado foi o Nenen, da Maylane, em Capim Grosso, na Bahia. Depois de enfrentar uma cinomose, ele perdeu os movimentos das patas e foi ajudado com uma “cadeirinha”, que tem rodas para facilitar a locomoção do bicho.

Mariana é tutora da Golden Retriever Olívia, que também possui dificuldades para andar após ter caído de uma altura de sete metros. Ela ficou paraplégica e passaria pelo processo de eutanásia, quando foi salva pela atual dona.

Uma marca de produtos para pet criou uma coleção de coleiras e guias baseada na Golden Retriever Olívia e parte da venda, cerca de 7%, é encaminhada para o fabricante das cadeiras do projeto “Amigos de Rodinhas”.

Mariana é tutora da cadela Olívia, que também é especial — Foto: Eduardo Palota/Arquivo pessoal
Mariana é tutora da cadela Olívia, que também é especial — Foto: Eduardo Palota/Arquivo pessoal

Por Aline Albuquerque, G1 Sorocaba e Jundiaí (colaborou sob supervisão de Ana Paula Yabiku)

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.