Projeto estuda uso pedagógico de cadáveres animais

195
Projeto estuda uso pedagógico de cadáveres animais

Um projeto sobre ensino de anatomia, que estuda o uso de cadáveres animais como recurso didático, tem trazido resultados e experiências pedagógicas importantes em Cruzeiro do Sul, no AC, envolvendo tecnologia com materiais reciclados.

Peça anatômica produzida pelos alunos da UFAC
Peça anatômica produzida pelos alunos da UFAC

Desenvolvido no campus Floresta da Universidade Federal do Acre (Ufac), sob a orientação do professor André Casas, o projeto, nos últimos dois anos, tem contribuído com novos recursos didáticos sobre peças cadavéricas animais nas aulas dos cursos de Biologia e Enfermagem.

O resultado do trabalho incrementou o acervo do Laboratório Didático de Anatomia e Fisiologia Comparada, onde o projeto é realizado, sem qualquer custo para a universidade. A qualificação de alunos em técnicas anatômicas tornou o projeto uma referência para a comunidade do Vale do Juruá e outras instituições, como o Instituto Federal do Acre (Ifac).

Recentemente, cerca de 40 alunos do Ifac de Cruzeiro do Sul, do curso técnico de Zootecnia, foram capacitados para a preparação de peças ósseas de equinos e bovinos, com o auxílio de acadêmicos da Ufac ligados ao laboratório de anatomia. Na ocasião, firmou-se uma intenção de parceria interinstitucional para fomentar ainda mais ensino, pesquisa e extensão.

O projeto, intitulado “O Ensino de Anatomia no Campus Floresta da Ufac: Um estudo sobre a Importância da Utilização de Cadáveres Animais como Recursos Didáticos” é desenvolvido pelos alunos Antônio Tarlei Leite, Luis Felipe Carvalho, Héricles da Silva (da licenciatura em Ciências Biológicas); Tiago Jacó e Karina Alencar (do bacharelado em Ciências Biológicas) e Ítala Maria Araújo (do bacharelado em Enfermagem).

Parte dos resultados obtidos com o projeto poderá ser conhecida na edição de maio do periódico científico “South American Journal of Basic Education, Technical and Technological” (Revista sul-americana de ensino básico, técnico e tecnológico), do Colégio de Aplicação da Ufac.

Fonte: UFAC


Nota do Olhar Animal: O uso de animais já mortos para estudos anatômicos é mais uma opção que vem se somar a outras (impressão 3D, por exemplo) para substituir a matança de animais para fins pedagógicos.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.