Projeto prevê castração de animais de famílias em vulnerabilidade social em Venâncio Aires, RS

238
Cães de rua, encaminhados por entidades de defesa animal, também serão abrangidos pelo projeto. (Foto: Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do Mate)
Cães de rua, encaminhados por entidades de defesa animal, também serão abrangidos pelo projeto. (Foto: Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do Mate)

Cães e gatos de famílias em vulnerabilidade, cadastradas em programas sociais, assim como animais de rua, são o foco do projeto de castração de animais em Venâncio Aires. A matéria deve ser enviada, nos próximos dias pelo Município, para apreciação da Câmara de Vereadores. Após a aprovação, o Município realizará credenciamento de clínicas veterinárias interessadas em realizar o trabalho.

O objetivo é de que, mensalmente, sejam utilizados R$ 4 mil para castração de cadelas e gatas. O valor será repassado por meio do Fundo do Meio Ambiente e o gerenciamento da fila de espera ficará a cargo do Conselho Municipal de Proteção aos Animais (Compa).

De acordo com a fiscal do Meio Ambiente e integrante do Compa, Carin Gomes, a quantidade de castrações realizadas, por mês, será variável, conforme o porte dos animais que passarão pela cirurgia. “O valor da castração muda conforme o tamanho da cadela”, explica.

Segundo Carin, a proposta é de que cadastramento dos animais seja realizado na Secretaria Municipal de Meio Ambiente enquanto a seleção será realizada pelo Compa, a partir de critérios preestabelecidos.

Devem ser priorizados animais de famílias vinculadas a programas sociais, que vivem em casas sem cercamento no terreno e têm contato com outros cães ou gatos. Além disso, uma porcentagem do valor será destinada a cães e gatos de rua, encaminhados por organizações de defesa da causa animal.

Com o projeto de castração cirúrgica, vamos sair da estaca zero, no município. Ao diminuir o número de cães e gatos, consequentemente, reduz-se o número de zoonoses, que são doenças transmitidas pelos animais aos humanos”, Everton Notti, coordenador da Vigilância Sanitária.

O médico veterinário Everton Notti, coordenador da Vigilância Sanitária de Venâncio Aires, ressalta a importância da iniciativa e afirma que o objetivo, nesta primeira etapa do projeto, é realizar apenas a castração de fêmeas. “Além de diminuir a população de cães e gatos, a castração vai evitar brigas que ocorrem nas ruas, quando há fêmeas no cio. Isso também reduz casos de animais feridos e a necessidade de tratamento clínico”, observa.

Sobre o projeto

Após o projeto de lei ser aprovado na Câmara de Vereadores, a Prefeitura realizará processo para cadastramento de clínicas veterinárias interessadas em realizar as castrações. Depois disso, famílias que têm gatas e cadelas não castradas poderão se inscrever para que os animais passem pelo procedimento, gratuitamente. Da mesma forma, entidades de proteção animal poderão encaminhar animais abandonados para passarem pela cirurgia. Atualmente, não há estimativa de quantos cães e gatos necessitam de castração em Venâncio Aires.

Por Juliana Bencke 

Fonte: Folha do Mate 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.