Projeto quer instalar comedouros para cães abandonados em ruas e praças de Macapá, AP

Projeto quer instalar comedouros para cães abandonados em ruas e praças de Macapá, AP

Um casal de namorados, que ama animais, resolveu amenizar a fome de cães de rua com uma iniciativa simples. Eles criaram um comedouro feito de cano de PVC. A princípio, a ideia era instalar apenas dois sistemas na praça do bairro Boné Azul, Zona Norte de Macapá. Porém, ao divulgarem a iniciativa na internet, o projeto ‘Ajude um AUmigo’ ganhou apoiadores e precisou ser ampliado.

A psicóloga Rayssa Oliveira mora no Boné Azul e o namorado dela, o advogado Felipe Alves, é morador do bairro Renascer. Juntos, eles têm cinco cachorros. Felipe conta que foi ao ver uma cena triste em frente de casa, que o projeto ganhou força.

“A gente conversa faz tempo sobre o projeto, mas focamos mesmo nele na semana passada, quando eu vi um cachorro bebendo água da fossa, na frente da minha casa. Ele estava bem desnutrido, muito magrinho. Dei comida e água para ele e foi aí que me deu o estalo”, contou o advogado.

Com dinheiro do próprio bolso, o casal confeccionou as primeiras duas peças, para serem colocadas na pracinha do Boné Azul e a outra em frente a casa de Fernando. A ideia não é inédita. Em muitos estados já se confecciona o comedouro, feito com cano, cotovelos, braçadeiras e tampa de PVC, além de cola. Tudo montado, vira um depósito para colocar alimentos.

Detalhe, após criarem os dispositivos, os idealizadores postaram sobre o projeto nas redes sociais e, em menos de 48 horas, mais de 400 pessoas se disponibilizaram a ajudar com doações de ração e materiais para a construção do comedouro.

“Tá todo mundo querendo ajudar de alguma maneira. A partir do momento que a gente começou a cuidar dos nossos cachorros a gente passou a ter outro olhar com os animais de rua. Tem pessoas que chutam da frente da sua casa, que maltratam os animais, e a gente sempre pensou em como seria se fossem os nossos. A gente sempre pensou em fazer algo, mas dentro das nossas condições”, contou Rayssa.

Felipe Alves e Rayssa Oliveira. (Fotos: Rita Torrinha/G1)

Nesta sexta-feira (7), dois comedouros foram instalados na praça perto da casa da Rayssa. Outros 10 serão distribuídos ao longo da semana, em praças e ruas da cidade. O casal está se organizando para fiscalizar os pontos e também abastecer com alimento. E, nesse ponto, muita gente também quer ajudar.

Muitos estão pedindo para por na frente de casa. Os dois pedem a ajuda da população, para que não deixe os comedouros serem destruídos.

“A gente sabe que tem outros problemas em relação a esses animais de rua, mas o que queremos é reduzir danos diminuindo o sofrimento, a dor e a fome deles, o máximo que pudermos alcançar. A gente não vai poder resolver o problema de todos, mas o que está acessível para nós, nesse momento, vamos fazer. Muitos reviram o lixo e acabam machucando a boquinha em latas”, ressaltou a psicóloga.

O próximo passo dos namorados é desenvolver um bebedouro, que é mais caro. Cada comedouro sai por R$ 30, e o valor final do bebedouro fica R$ 50.

“Estamos contando com a ajuda de pessoas, empresas e todos que queiram, de alguma forma, ajudar a iniciativa. Cada comedouro que será instalado receberá uma quantia de ração, por isso, precisamos de ajuda para o abastecimento. Nossa proposta também é trabalhar com a comunidade, assim nossos amiguinhos poderão comer sempre que sentirem fome, garantindo melhor qualidade de vida”, finalizou Felipe.

Quem quiser e puder ajudar o projeto, pode ligar para os telefones 98139-0874 e 98117-1588.

Por Rita Torrinha

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.