Retirar as garras de gatos é como amputar as pontas dos dedos! Veja como ajudar a proibir essa prática nos EUA

866
Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Quando as pessoas adotam um pequeno gatinho adorável, eles estão tão apaixonados pela fofura que às vezes não conseguem perceber toda a responsabilidade que está envolvida na criação e no cuidado correto de gatos.

Um problema comum que os tutores de gatos muitas vezes reclamam são arranhões. Por instinto, os gatos arranham naturalmente certas coisas para marcar seu espaço e afiar suas unhas. Quando na natureza, as árvores são seus lugares naturais de arranhar, o que explica por que os gatos geralmente se esticam para arranhar as coisas verticais em nossas casas (apoios de braço dos móveis, portas, etc.). Fornecer ao seu gato postes arranhadores pode ajudar a redirecionar esse comportamento natural. Se seu gato gosta de arranhar pisos, os tapetes para arranhar podem fornecer-lhes uma saída alternativa. Se o seu gato está relutante em usar os arranhadores ou os tapetes, um pouco de catnip (erva-dos-gatos) polvilhada sobre eles pode ajudar.

Os tutores de gatos também podem cortar, de maneira cuidadosa e humana, as pontas afiadas de suas unhas com cortadores de unhas de gato especiais que estão disponíveis na maioria das lojas de cuidados para animais de estimação (apenas faça isso se o seu gato fica dentro de casa, pois as garras são a primeira linha de defesa do gato). Cortar as unhas de seu gato pode ser complicado se você nunca fez isso antes, então tente começar quando o seu gato estiver com sono ou ronronando. Pressione suavemente perto das unhas de suas patas e tome muito cuidado para não cortar perto do sabugo. Se você não confia em si mesmo para cortar as unhas corretamente, uma visita a uma pessoa especializada pode ajudar.

Além disso, os gatos não gostam de muitos aromas que achamos agradáveis, como lavanda ou cítricos. Pulverizar óleos essenciais diluídos como estes nos móveis e outras áreas da sua casa podem impedir os gatos de arranharem lá. Os gatos odeiam ficar com as patas pegajosas também, então usar uma fita de móveis especial pode educar os gatos a ficar longe de certas áreas, e uma vez que eles aprenderem a não arranhar essa área, a fita pode ser removida.

Com todas essas alternativas, é inacreditável que as pessoas ainda optem por retirar as garras de seus gatos, um procedimento doloroso e irreversível que é comparado a amputar as falangetas dos dedos. Os gatos que têm suas garras removidas precisam aprender a caminhar e saltar de novo, a maioria tem grandes mudanças de humor devido à dor e ao desconforto que continuam a persistir após o procedimento, e alguns podem se tornar agressivos ou parar de usar a caixa de areia. A remoção das garras de gatos é contra a lei em 21 países, mas os Estados Unidos não é um deles.

Uma petição dirigida ao Congresso dos Estados Unidos foi criada no site Care2 para falar em nome dos gatos e exigir que isso se torne ilegal. Por favor, adicione seu nome à petição em apoio aos nossos amados amigos e familiares felinos.

E compartilhe isto nas redes sociais para aumentar a conscientização sobre este problema muito grave!

ASSINE A PETIÇÃO!

Por Natasha Brooks /  Tradução de Ana Carolina Figueiredo

Fonte: One Green Planet


Nota do Olhar Animal: No Brasil, a prática de arrancar unhas dos gatos é expressamente proibida por lei desde 1934. E também é vetada em decorrência da Lei dos Crimes Ambientais (9605/98), artigo 32.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.