Retomado programa de castração de animais domésticos em Brasília, DF

Ibram trabalha para concluir o atendimento de cidadãos já cadastrados e projeta novas vagas ainda para este semestre.

485
Retomado programa de castração de animais domésticos em Brasília, DF
Foto: Shutterstock

Está de volta o programa de castração de animais domésticos do governo de Brasília. Sob a coordenação do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e com atendimentos em clínica particular no Gama, as operações foram retomadas neste mês, e o órgão já começou a convocar os inscritos.

Conforme anunciado no ano passado, a castração passou a ser feita por meio de clínicas particulares credenciadas. Atualmente, existe um passivo de cerca de 900 animais não contemplados pela última etapa do programa, que castrou mais de 3 mil cães e gatos.

“Em alguns casos, esses responsáveis fizeram a castração dos animais por conta própria. Em outros, infelizmente, o bicho morreu, mas acionaremos todos”, destaca o coordenador substituto de Fauna do Ibram, Almir Figueiredo.

De acordo com ele, a previsão é que sejam abertas novas vagas ainda neste semestre. Todos os cidadãos podem se inscrever, e a ordem de prioridade obedece a critérios socioambientais.

Como funciona o programa de castração de animais

“A castração é um serviço promovido durante campanhas”, explica Figueiredo. “Ocorre, ao menos, uma ação anualmente”, completa o coordenador, enfatizando que não se trata de um programa contínuo.

900: Número de animais cadastrados e não contemplados na última etapa do programa de castração

A nova metodologia funciona da seguinte forma: o Ibram envia por e-mail para o dono do animal todas as orientações para o procedimento. Com o encaminhamento em mãos, ele se dirige até a clínica para a operação, que é gratuita.

Clínicas interessadas em participar do programa podem entrar em contato pelo número (61) 3214-5678 ou verificar o edital de chamamento.

Programa era feito em unidade itinerante

O serviço itinerante de castração de cães e gatos era chamado de Castra Móvel e foi interrompido em abril de 2016.

Em setembro, foi anunciado um acordo de cooperação técnica com a Universidade de Brasília (UnB), para atendimento em projetos de ensino da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária.

A parceria foi definida pelo Comitê Interinstitucional da Política Distrital para os Animais, do qual participam diversos órgãos do governo, como o Ibram e a Secretaria do Meio Ambiente, que coordena o grupo.

Por Ádamo Araujo / Edição de Marina Mercante 

Fonte: Agência Brasília 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.