Reunião pública sobre política de proteção animal atrai mais de 100 pessoas em Curitiba

Mais de cem pessoas participaram, na noite de terça-feira (3), da primeira reunião pública para discussão da política animal de Curitiba. No encontro, promovido pela Rede de Proteção Animal da Secretaria de Municipal do Meio Ambiente, foram abordados temas como a guarda responsável compartilhada, o controle da população de cães e gatos, castração, a questão dos acumuladores, a adoção e controle de doenças. Os participantes puderam encaminhar sugestões e tirar dúvidas sobre os temas.

A reunião foi aberta pelo secretário municipal do Meio Ambiente, Renato Lima, e teve a participação de técnicos da secretaria e representantes de organizações não governamentais. O coordenador da Rede de Proteção Animal, Paulo Colnaghi, fez um balanço do trabalho desenvolvido pelo órgão.

“Esta é a primeira de várias reuniões. Estamos abrindo o debate sobre a política de proteção animal e, a partir de agora, pretendemos ficar mais próximos das pessoas que trabalham e adotam a causa”, disse ele.

Colnaghi destacou a importância do programa Cão Comunitário, que estimula a guarda responsável compartilhada de animais, e disse que a questão da população canina da cidade, estimada em 450 mil, é um das principais preocupações da Prefeitura, especialmente os cães abandonados e semidomiciliados (que possuem donos, mas passam o dia na rua).

“Nós ainda não temos dados seguros sobre o número real da população de cães e gatos e estamos programando um levantamento para termos um panorama real da situação”, disse.

Na parte final do encontro, os participantes puderam encaminhar dúvidas e sugestões à mesa. Boa parte das perguntas, feitas por escrito, foi respondida por Paulo Colnaghi e pelos técnicos da secretaria de Meio Ambiente. As que não tiveram respostas na hora serão encaminhadas por e-mail.

Um dos participantes, Marco Aurélio Felipe, disse que foi ao encontro em busca de esclarecimento sobre a adoção de cães abandonados. Ao final, ele afirmou que ficou satisfeito com a reunião. “Achei interessante o debate e a ideia de promover o encontro. É um pontapé inicial para que possamos discutir melhor o tema da proteção”, disse.

A iniciativa também agradou Aparecida Wislzeski, uma defensora da guarda responsável de cães e gatos. “Saí bem feliz daqui. Vi que o trabalho de proteção está sendo feito pela Prefeitura”, disse.

Fonte: Bem Paraná

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.