Rinha de galo é descoberta em Campo Grande (MS) e dono de 22 anos é preso

Acusado foi multado em R$ 4 mil.

86

O Grupo de Operações de Investigação (GOI) da Polícia Civil prendeu nessa terça-feira um jovem de 22 anos, acusado de comandar uma rinha de galos no Jardim Noroeste, em Campo Grande. Os animais encontrados no local estavam mutilados.

A PMA (Polícia Militar Ambiental) foi acionada e verificou a criação e manutenção de oito animais domésticos da espécie galo-índio (Gallus gallus domesticus) em espaço inadequado. Eles eram mantidos confinados em gaiolas de madeira apertadas com restrição de movimentos, privação de luz solar e circulação aérea inadequada.

De acordo com a Polícia Ambiental, os animais estava mutilados, com as esporas cortadas, sinais característicos de emprego dos animais em rinhas. No local ainda foi encontrada uma arena (rebolo) que é utilizada para colocar os animais em briga, o que ratifica que o local funcionava como uma rinha, apesar de não estar havendo brigas no momento da vistoria. Os animais e caixas foram apreendidos.

O infrator, de 22 anos, residente no local, foi conduzido à delegacia pela Polícia Civil na Capital, juntamente com os animais e materiais apreendidos e responderá por crime ambiental de maus-tratos a animais. A PMA confeccionou um auto de infração administrativo e aplicou multa de R$ 4.000,00 contra o infrator e encaminhou os animais para o Centro de Controle de Zoonoses, na Capital.

Por Anny Malagolini

Fonte: Midiamax

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.