São Sebastião (SP) pretende descentralizar ações do Centro de Zoonoses

São Sebastião (SP) pretende descentralizar ações do Centro de Zoonoses

A Prefeitura de São Sebastião vai ampliar as atividades do Centro de Zoonoses municipal que contará com estruturas também na área central e Costa Sul. Os trabalhos neste setor, que atualmente são concentrados na Costa Norte, foram alvo de reunião nesta quarta-feira, na Administração Municipal, com participação da Secretaria Municipal da Saúde e representantes de ONGs de proteção animal.

O chefe do Executivo solicitou que em 30 dias os interessados apresentem propostas de trabalho e novos locais para funcionamento da zoonoses na cidade.

Além do trabalho habitualmente desenvolvido pelo município com recolhimento de animais de rua, o planejamento envolverá ações mais amplas. A intenção é fazer um credenciamento de clínicas veterinárias espalhadas pelo município que, através de convênio, possam colaborar no atendimento e castração dos animais domésticos.

A medida terá como objetivo principal apoiar principalmente as famílias de menor poder aquisitivo que não possuem recursos financeiros para cuidar dos seus animais. A Secretaria Municipal de Saúde espera em 40 dias ter um levantamento para saber o número exato de animais domésticos existentes no município e, a partir disso, definir ações do Centro de Zoonoses. O executivo solicitou que as ONGs de proteção aos animais sejam envolvidas neste planejamento.

Fonte: Portal Caiçara (com informações da Prefeitura de São Sebastião)


Nota do Olhar Animal: Uma boa medida. Comumente os serviços dos CCZs voltados à proteção dos animais (e todos os outros) ficam fora do alcance dos munícipes. O centros de zoonoses normalmente se localizam em áreas remotas das cidades, de difícil acesso, e tem todas as suas ações centralizadas, o que dificulta a interação com os moradores. Há alguns anos, o Olhar Animal propôs um projeto de criação de postos veterinários que descentralizariam as ações de esterilização de cães e gatos, realizando também o atendimento clínico, que guarda certa similaridade com o que foi publicado sobre este, em São Sebastião.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.