Imagem: autor desconhecido

Sobre o antropocentrismo e o egoísmo, ‘inimigos’ dos animais

Por Maurício Varallo

O antropocentrismo é um “inimigo” relevante dos animais não humanos, mas penso que bem menos frequente (e por isso quantitativamente menos danoso) do que o EGOÍSMO. O antropocentrismo me sugere uma preocupação com interesses coletivos, ainda que defina este “coletivo” como algo exclusivamente humano, atribuindo supremacia à espécie, prevalência esta que entendo como um grande equívoco e uma ideia sem sustentação na Ética.

Mas o que vejo é que grande parte das alegações em defesa do antropocentrismo são na realidade meras expressões desse egoísmo, leviana ou desonestamente travestidas de preocupações com a coletividade humana, das quais na verdade passam longe. Tanto é assim que estas alegações raramente são acompanhadas de ações efetivas e sistemáticas em prol da humanidade ou sequer da comunidade a que pertence quem as manifesta. O antropocentrismo comumente é “invocado” por pessoas em defesa de seus próprios hábitos e interesses. É algo como virtualmente “chamar a turma” e buscar um ideário na prateleira que seja conveniente para validar o seu egoísmo.

Talvez o antropocentrismo autêntico, ainda que também equivocado e danoso, seja muito mais raro do que imaginamos. E deva ser um alvo secundário da ação em defesa dos animais.

Fonte: Olhar Animal


Maurício VaralloMaurício Varallo | olharanimal@gmail.com

Editor do site Olhar Animal, presidente da ONG homônima e ativista em defesa dos interesses dos animais desde 2001.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *