Um funcionário foi filmado quando golpeava a cabeça de um leitão contra a parede.

Sofrimento dos porcos: Momento aterrorizante em que funcionário de fazenda bate filhote na parede até a morte

Esse é o momento repugnante em que golpeiam a cabeça de um pequeno leitão contra a parede em cenas chocantes, “direto de um filme de terror”.

Leitões aterrorizados foram filmados a gritar em agonia quando cortavam as pontas de seus dentes enquanto davam repetidos choques com um bastão elétrico em outros.

Dois ativistas anônimos dos direitos dos animais montaram câmeras secretas na Fazenda Rosebury, em Dunstable, e filmaram as imagens horríveis.

CENAS FORTES.

Um leitão, o qual espumava pela boca, foi visto ser jogado em uma pilha de leitões mortos.

Os ativistas então passaram a filmagem, feita durante um período de três meses, para a organização Animal Equality e agora a fazenda foi expulsa do esquema de “padrões garantidos de alimentos” da indústria.

Enquanto isso, outras câmeras mostraram dúzias de leitões mortos espalhados pelo chão do galpão de nascimentos e outros leitões ficaram presos em caixas com seus irmãos mortos.

Ele foi visto ao segurar os leitões com sua mão direita antes de bater contra a parede da fazenda.
Ele foi visto ao segurar os leitões com sua mão direita antes de bater contra a parede da fazenda.
Imagens angustiantes mostraram leitões mortos, uns em cima dos outros
Imagens angustiantes mostraram leitões mortos, uns em cima dos outros

Os porcos foram então carregados em um caminhão que os ativistas seguiram até um matadouro que abastece a maior parte dos varejistas do Rio Unido.

A Dra. Toni Shephard, Diretora Executiva da “Animal Equality”, ficou chocada depois de assistir à filmagem e disse “está na hora de os consumidores saberem a verdade”.

Ela disse: “O som das cabeças dos leitões ao serem golpeadas contra a parede, os gritos de agonia enquanto cortavam seus pequenos dentes e os gritos aterrorizados de porcos quando empurrados para o caminhão de abate com choques elétricos podiam ter sido retirados de um filme de terror.

“No entanto, essas cenas angustiantes são da muito romantizada fazenda familiar local que produz carne de porco britânica sob a etiqueta Red Tractor (Trator Vermelho).”

A fazenda Rosebury agora perdeu seu certificado de garantia Red Tractor.
A fazenda Rosebury agora perdeu seu certificado de garantia Red Tractor.
Dois ativistas fizeram filmagem chocante e passaram à Animal Equality.
Dois ativistas fizeram filmagem chocante e passaram à Animal Equality.

Ela adicionou: “Está na hora de os consumidores saberem a verdade. Rótulos e certificados não impedem que os animais sofram na indústria da carne, mas escolher a partir da seleção crescente de opções sem carne, sim”.

O professor Andrew Knight, um especialista em veterinária do Centro de Bem-Estar Animal da Universidade de Winchester, também viu as imagens.

Ele disse que elas mostraram “manipulação desumana e morte de leitões”, assim como “uso excessivo e inapropriado de um bastão elétrico, provavelmente para causar dor e medo.”

Os clipes foram passados para a Red Tractor, a Agência de Saúde Animal e Vegetal do Departamento de Meio Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais (Defra) e para a Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals (RSPCA) no final de julho.

Porcos também levaram repetidos choques com um bastão elétrico.
Porcos também levaram repetidos choques com um bastão elétrico.
Eles foram amontoados em um curral e forçados a deitarem-se uns sobre os outros.
Eles foram amontoados em um curral e forçados a deitarem-se uns sobre os outros.

A Red Tractor suspendeu a fazenda, enquanto aguarda investigação adicional.

Um porta-voz disse ao The Times: “A avaliação confirmou uma série de problemas de não conformidade que não aderem aos padrões Red Tractor.

“O uso de aguilhão não é permitido pelos padrões de fazenda Red Tractor.”

“Como resultado, o certificado de garantia da Fazenda Rosebury foi suspenso.”

Michael Thorne, que administra a fazenda, se desculpou pelas suas ações e garante que sua equipe terá o “treinamento mais recente”.

Ele disse ao jornal: “Eu me desculpo pelas minhas ações e admito que houve deficiências na maneira como administrei a fazenda.”

“Os porcos têm sido meu meio de subsistência nos últimos 25 anos, então seu bem-estar é da maior importância para mim.”

“No futuro, eu vou assegurar que todos os funcionários, inclusive eu, tenham os treinamentos e recursos mais recentes para gerenciar a fazenda da maneira que o público espera.”

Por Abe Hawken / Tradução de Débora C. T. Barros

Fonte: The Sun / Imagens: Animal Equality

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.