Submarino ARA San Juan: Comando, Floppy e Ramiro, os três cães à espera de Eliana Krawczyk

Ela é a única mulher da tripulação. O vídeo de um dos cães mergulhando na água para seguir o submarino viralizou pela internet.

1123
Eliana Krawczyk e seu amor pelos cães.
Eliana Krawczyk e seu amor pelos cães.

Muitos o conhecem como “Comando”, outros como “Felipe” e puderam vê-lo no vídeo que viralizou pelo WhatsApp, nadando atrás do submarino ARA San Juan enquanto desaparecia nas profundezas do Atlântico Sul em direção a uma nova missão.

Com suas quatro patas, a farejava e a seguia pelas águas, Eliana Krawczyk, a “rainha dos mares”, para sua família da província de Misiones, ou “a única mulher a bordo do submarino”, para os meios de comunicação de todo o mundo que há muitos dias cobrem a busca do submarino desaparecido.

Seu irmão, Roberto Krawczyk, contou para o Clarín que o cão “Comando” morava na base naval, e que “não a acompanhava ao apartamento de sua irmã”.

Mas em uma entrevista com Mónica Gutiérrez para o jornal de América, Inés, uma amiga que Eliana conheceu há um ano e meio na imobiliária onde alugou o apartamento em que morava em Mar del Plata, disse que a submarinista tinha dois cães em Mar del Plata: Floppy (ou “Chuiquito”) e Ramiro, que “sempre os levava para passear”.

“Além de ser uma mulher com muita integridade e força, que há que se ter para ser um submarinista, por sua vez era uma pessoa de muita sensibilidade e que amava aos animais”, concluiu.

“Comando” tentava alcançar o submarino ARA San Juan cada vez que zarpava do porto da cidade.

As imagens que se viralizaram na internet são de março deste ano e foram registradas por vários marinheiros, que disseram que Krawczyk costumava passar muito tempo na base naval cuidando dos cães da zona.

No vídeo é possível escutar um dos tripulantes dizendo: “Mas que cachorro maluco, quer subir no submarino. Agora vai ficar chorando até ele volte”.

Floppy (o “Chuiquito”) e Ramiro, como “Comando”,também aguardam o retorno de Eliana a Base Naval Mar del Plata.

Tradução de Flavia Luchetti

Fonte: Clarín

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.