Animal se assustou e escondeu o rosto ao se deparar com agentes da Defesa Civil (Foto: Defesa Civil/ Divugação)

Tamanduá ‘esconde’ o rosto ao ser encontrado por moradora em Bocaina, SP

Um tamanduá foi flagrado na noite desta segunda-feira (12) caminhando pelas ruas do bairro Victório Marangoni em Bocaina (SP). O animal foi visto por uma moradora da cidade que acionou a Polícia Militar.

Os policiais fizeram a segurança do local até que a Defesa Civil chegasse para capturar o animal. Acuado e assustado com a presença de tantos moradores, o tamanduá ficou paralisado, “escondendo” o rosto.

De acordo com a Polícia Militar, o animal é um Tamanduá Mirim adulto e pode ter até 105 cm de comprimento.

Tamanduá foi visto andando pelas ruas do bairro em Bocaina (Foto: Imprensa Jaú / Divulgação)
Tamanduá foi visto andando pelas ruas do bairro em Bocaina (Foto: Imprensa Jaú / Divulgação)

De acordo com a Polícia Militar, a ação da moradora ajudou a salvar a vida do animal que poderia ser facilmente atacado por cães ou mesmo ser atropelado.

Após ser capturado por um bombeiro da Defesa Civil, o tamanduá foi levado para uma reserva ambiental entre os municípios de Bocaina e Bariri, onde foi solto.

O animal estava perfeitamente saudável e não precisou passar por atendimento veterinário.

Tamanduá é um adulto que pode ter até 105 cm de comprimento, segundos os policiais (Foto: Imprensa Jaú / Divulgação)
Tamanduá é um adulto que pode ter até 105 cm de comprimento, segundos os policiais (Foto: Imprensa Jaú / Divulgação)

Esconder o rosto?

De acordo com Laís Fernandes e Victor Yunes, médicos veterinários especializados em animais silvestres, esse tipo de comportamento é característico dos tamanduás em relação à luz do ambiente onde ele está.

“Ele sinaliza que o animal está incomodado com a quantidade de luz do ambiente e que quer o seu “escurinho””, explicam.

No entanto, apesar de “bonitinho”, os tamanduás são animais agressivos, podendo atacar se acabarem se sentindo ameaçados de alguma forma. Antes do ataque, costumam ficar de pé nas patas traseiras e com os braços abertos. “Eles são muito fortes, vêm com os braços abertos e enfiam as unhas onde conseguirem”, afirma a veterinária.

A espécie do Tamanduá Bandeira é capaz de matar um ser humano durante um ataque. Portanto, é extremamente recomendado respeitar o animal, mantendo a distância e não fazendo nada que possa incomodá-lo ou fazer com que ele se sinta ameaçado.

Em caso de emergência, sempre procure um médico veterinário especializado.

Moradores ficaram curiosos com a "visita inusitada" (Foto: Bocaina Informa / Divulgação)
Moradores ficaram curiosos com a “visita inusitada” (Foto: Bocaina Informa / Divulgação)

Cuidados ao encontrar um animal silvestre

Ao se deparar com um animal silvestre, a Secretaria do Meio Ambiente aconselha a, num primeiro momento, ligar para o Corpo de Bombeiros ou acionar a Polícia Militar Ambiental. As duas entidades possuem agentes preparados para lidar com a situação.

É importante que a pessoa nunca tente fazer a captura do animal, que pode reagir de forma agressiva caso se sinta ameaçado, por estar fora do habitat. O Corpo de Bombeiros alerta para não fornecer alimentos ou água, que podem ser prejudiciais.

Por Júlia Martins (colaborou sob a supervisão de Mariana Bonora)

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *