Tartaruga-verde adulta encalha, sobrevive e é devolvida ao mar – Olhar Animal

Tartaruga-verde adulta encalha, sobrevive e é devolvida ao mar

Resgate contou com a ajuda de pelo menos 11 pessoas, entre banhistas e pescadores

Uma tartaruga-verde adulta de 1,18 m teve um final feliz na manhã deste sábado (11) após ter ficado encalhada em currais de pesca no mar da Praia de Ipioca, na região Norte de Maceió (AL). Ela foi devolvida ao mar com vida, após ser analisada pela equipe do Instituto Biota da Conservação.

De acordo com a coordenadora de monitoramento e resgate do Biota, Bruna Teixeira, a tartaruga ficou presa depois que a maré baixou. O instituto foi acionado através de ligações de pescadores que avistaram o animal marinho. “Quando chegamos ao local, percebemos que ela estava cansada, mas estava bem para ser devolvida ao mar”, conta a coordenadora.

Antes de ser devolvida para as águas marinhas, a tartaruga foi submetida a uma análise veterinária, passando por teste de flutuabilidade e teve o sangue retirado para análise. A equipe também limpou um ferimento que ela tinha e uma vitamina foi aplicada no animal. Para realizar a soltura, foi preciso a ajuda de cinco profissionais do Biota e mais seis banhistas e pescadores.

Imagens divulgadas pelo Biota mostram que só para carregar o animal até o mar foi preciso a força de sete homens. O registro do resgate da tartaruga é uma vitória para a biodiversidade marinha no Litoral Alagoano que, somente entre maio e junho deste ano, registrou a morte de 347 tartarugas, conforme dados do instituto.

Procedimento adotado pelo Biota para resgate de tartarugas

A forma de resgate das tartarugas depende da condição de debilidade em que elas se encontram ou do estado de decomposição. Quando a tartaruga é encontrada ainda viva, ela é levada ao Centro de Reabilitação, no povoado de Lagoa do Pau, em Coruripe, no Litoral Sul de Alagoas.

Se a morte é registrada e aconteceu recentemente, no máximo há menos de duas horas, a tartaruga é levada para a necropsia, feita em local controlado, no Centro Universitário Cesmac. Para esses procedimentos, são utilizados veterinários do instituto. No entanto, se a morte ocorreu há um tempo maior, a avaliação é feita pelos monitores de praia, no próprio local em que o animal foi encontrado.

A quantidade de mortes ou encalhamentos de tartarugas no litoral, quando geralmente elas são resgatadas em estado grave, tem causado estranhamento aos ambientalistas que lidam com a questão. Só na manhã do último dia 23 de julho, 13 tartarugas e uma ave marinha foram retiradas sem vida das areias das praias de Maceió, nos trechos entre Pajuçara e Jatiúca.

VÍDEO: Veja momento em que tartaruga é resgatada na praia de Ipioca.

Por Mariane Rodrigues

Fonte: OP9

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.