Terror na Argentina: maus-tratos acabam com a morte de um pônei

Terror na Argentina: maus-tratos acabam com a morte de um pônei

Um pônei estava amarrado sem água e sem comida. Ele tentou se livrar das amarras durante horas, até que caiu extenuado, quando foi atacado por cachorros que o despedaçaram vivo.

A Promotoria da Cidade de Jesús María investiga outro caso grave de maus-tratos a animal na cidade de Colonia Caroya, Argentina. Se trata de um pônei que terminou morto, tendo como causa inicial feridas e infecções provocadas pela fome e depois foi atacado por uma matilha de cães famintos.

Segundo se soube na véspera, o ataque aconteceu no mês passado, quando um vizinho advertiu que em um terreno baldio, situado na rua 10, entre 42 e 43, estava um animal moribundo.

De imediato, a polícia e protetores voluntários da Associação Civil “Hocitos de Caroya” chegaram ao local e encontraram um quadro doloroso, já que o animal desenganado havia sofrido um ataque de cachorros famintos.

A reconstrução dos fatos sinaliza que uma pessoa havia abandonado à própria sorte um pônei de aproximadamente 15 anos de idade, amarrado e sem água ou comida. Desesperado o pônei começou a dar voltas em círculos se enrolando com a própria corda que o impedia de mover-se. Horas depois o animal caiu extenuado e rendido, sem poder se defender, quando foi atacado por cachorros que rasgaram sua pele e começaram a comê-lo vivo.

Em continuidade, o equino agonizou até que o vizinho denunciante advertiu acerca da situação.

O animal foi transladado a um abrigo com assistência veterinária, mas a gravidade das feridas e das infecções causadas pelas lesões ocasionaram sua morte.

Neste momento, eles informaram extraoficialmente ao noticiário VíaCarlosPaz que “a pessoa responsável pelo animal e seu trágico fim não foi presa e, ao saber que o pequeno e indefeso pônei havia sido transferido em estado grave, ameaçou uma protetora por telefone de atentar contra sua integridade física por ter agido e ajudado o animal moribundo”.

Tradução de Germana Cavalcante

Fonte: Vía Carlos da Paz 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.