Teste rápido indica que cães da PM de Tocantins podem estar infectados com calazar

Exames foram feitos em filhotes e cinco apresentaram indícios da doença. PM informou que animais adultos são vacinados e não foram infectados.

498
Animais são usados em operações de busca e também para procurar drogas. (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Animais são usados em operações de busca e também para procurar drogas. (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Um teste rápido feito pela Secretaria de Saúde de Palmas (Semus) indica que cães da Polícia Militar do Tocantins podem estar infectados com calazar. O resultado é apenas uma suspeita e precisa de outros exames mais detalhados para ser comprovado. A PM informou que cinco dos nove filhotes examinados receberam o diagnóstico.

Os testes foram feitos a pedido da própria PM, que informou que este é um procedimento de rotina. O Centro de Controle de Zoonoses já recolheu o material para que os exames de laboratório sejam feitos e o resultado final deve sair em uma semana.

A Semus destacou que o teste rápido não dá um resultado definitivo e que a suspeita ainda pode ser descartada.

A Polícia Militar disse ainda que os cães adultos não foram infectados, já que são todos vacinados contra calazar. Dois veterinários da corporação acompanham os exames e vão avaliar que ação pode ser tomada caso algum dos cães tenha a doença confirmada.

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: E qual será o destino dos animais que seriam explorados por forças de segurança caso se confirme o diagnóstico de leishmaniose?

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.