Cadela mantida em marquise sem proteção, em Ceilândia — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Tutora que criava cadela em prédio sem proteção contra queda é indiciada por maus-tratos no DF; vídeo

A Delegacia do Meio Ambiente resgatou uma cadela que vivia na marquise de um prédio sem nenhuma proteção no Distrito Federal – nem do sol, nem da chuva, nem de quedas. A responsável foi levada para a delegacia, indiciada por maus-tratos, e vai responder à Justiça em liberdade.

VÍDEO: Cadela é mantida em marquise sem proteção e dona vai responder por maus-tratos

Em depoimento, a mulher assumiu manter nesta situação o animal, da raça Dachshund, há cerca de um ano e meio. O prédio fica na CNN 2, em Ceilândia.

O animal foi entregue temporariamente a uma médica veterinária. Ela foi nomeada como depositária fiel e vai prestar os cuidados necessários até uma decisão final da Justiça.

A Polícia Civil tomou conhecimento do caso com denúncias de quem passava pela região. Um vídeo obtido pelos investigadores mostra a cadela tentando escapar da chuva (veja acima).

De acordo com o Código Penal, o crime de maus-tratos a animais é considerado de “menor potencial ofensivo”. A pena varia de 3 meses a 1 ano de detenção, e costuma ser substituída por punições alternativas. Mesmo com flagrante, os suspeitos não ficam presos.

Desde maio, a punição por esse tipo de crime ficou mais pesada no DF. Agora, quem for flagrado maltratando animais domésticos ou silvestres pode ser multado em até 40 salários mínimos, o correspondente a mais de R$ 38 mil.

Por Gabriel Luiz, G1 DF

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.