PauloVictor veganismo1 H

Um dos maiores nomes do fisiculturismo nacional fala sobre veganismo

”Acredito que o homem, quando conhece a realidade dos matadouros e do confinamento animal, dificilmente vai ficar tranquilo ao consumir animais.” – Paru Vegan.

Por Lucas Alvarenga

PauloVictor veganismo1

Entrevistamos um dos maiores nomes do fisiculturismo nacional, o baiano Paulo Victor, conhecido como Paru Vegan. Veja o que ele tem a dizer sobre veganismo.

A indústria da carne e nossa cultura milenar são muito poderosas. Por isso, muita gente tem muito receio sobre uma mudança alimentar por não sentir segurança sobre questões como proteína e performance esportiva. Paulo Victor nos conta sobre sua experiência. Veja como foi:

VEGGO: Paulo, qual é a sua maior motivação em relação ao veganismo?

Paulo Victor: Minha maior motivação é saber que não contribuo para a exploração animal. Sou vegano porque não acho certo matar e explorar animais para que eu tenha que consumir produtos.

VEGGO: Há quanto tempo você é vegano?

Paulo Victor: Em setembro de 2015 completo 14 anos de veganismo.

VEGGO: Você já teve algum problema de saúde grave ou alguma dificuldade por conta da alimentação?

Paulo Victor: Não. No início do veganismo fiz exames completos de três em três meses para saber como meu corpo reagiria e, após perceber que não houve nenhum problema, passei a fazer exame com uma frequência anual.

VEGGO: Que vantagens você vê no veganismo para a sua vida?

Paulo Victor: Após conhecer a verdade sobre as indústrias e as ”aplicações” dela sobre os animais, o veganismo me trouxe alguma paz, uma melhor qualidade de vida e um círculo de amigos com ideologias parecidas.

VEGGO: Você tem algum cuidado especial em relação a alimentação?

Paulo Victor: Meus cuidados são usar um multivitamínico e fazer exames anualmente, nada diferente do que um onívoro faz (ou pelo menos deveria fazer).

VEGGO: Muita gente ainda não parou de comer carne pois escuta muita coisa de nutricionistas e familiares a respeito da falta de proteína. Você passou por isso? Como foi?

Paulo Victor: Por incrível que pareça, não ouvi muita coisa contra o veganismo vinda de meus familiares. Meus pais sempre me deram muita autonomia de vida desde novo e não implicaram com nada. Isso ajudou bastante na minha transição. Já com nutricionistas, as poucas vezes que fui em alguns, não ouvi boas recomendações. A maioria tentou me desencorajar e me fazer consumir ao menos alguns laticínios e ovos.

VEGGO: Muita gente que pratica muito esporte ou fisiculturismo tem medo de não alcançar seus resultados com uma dieta vegana. Que mensagem você gostaria de transmitir para essas pessoas?

Paulo Victor: Eu acho que a compaixão deve vir à frente de qualquer resultado. Quando se faz algo em que acredita, os resultados vêm. Não vou dizer que é mais fácil alcançar objetivos em esportes de performance com o veganismo, já que a nossa literatura esportiva foi praticamente criada em cima de uma base de dieta onívora, mas garanto que é completamente possível. Não se deixe levar pelo que muitas pessoas e profissionais dizem contra uma dieta baseada em vegetais. Estude, tire suas próprias conclusões e procure profissionais instruídos e com conhecimentos sobre nutrição vegana.

VEGGO: Que mensagem especial você gostaria de passar para as pessoas se estimularem a abandonarem o consumo animal completamente?

Paulo Victor: Recomendo que vejam vídeos como Terráqueos, Não Matarás ou o curta Meet your Meat. Acredito que o homem, quando conhece a realidade dos matadouros e do confinamento animal, dificilmente vai ficar tranquilo ao consumir animais. Não se deixe levar por opiniões vazias, pessoas negativistas ou profissionais desinformados. Busque conhecimento e verá que é possível viver de forma saudável, com diversos prazeres gastronômicos, desempenho esportivo, qualidade de vida e ao mesmo tempo deixar os animais em paz.

PauloVictor veganismo2

Fonte: Veggo

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.