Universidade Federal do Piauí expande programa de castração de animais abandonados

Universidade Federal do Piauí expande programa de castração de animais abandonados

O abandono de animais em áreas públicas não é apenas uma situação triste, mas que traz riscos. Em Teresina, instituições públicas de ensino se tornaram verdadeiros abrigos para os bichinhos, principalmente, os gatos. Para tentar minimizar o problema, a Universidade Federal do Piauí (UFPI) expandirá para todo o campus um programa de castração de animais.

“Tivemos uma reunião com a administração superior que nos deu total apoio. Então, resolvemos ampliar o projeto para o restante do campus Petrônio Portella. Estamos terminando os últimos ajustes para institucionalizar o programa”, explica o médico Marcelo Campos, subcoordenador do curso de Medicina Veterinária da UFPI.

O projeto-piloto teve início há menos de um ano, quando foram castrados cerca de 50 animais abandonados nos Centros de Ciências Agrárias e Residência Universitária.

O veterinário ressalta que a castração não resolve o problema e que a conscientização da sociedade é fundamental.

“Nosso programa inclui também um projeto de Educação e a terceira etapa é a coibição ao abandono de animais. As pessoas têm que tomar consciência de que não podem fazer isso. Abandonar animais é crime de maus-tratos”, frisa Campos.

Dentro do processo educativo está a mudança de hábitos da sociedade em relação a animais abandonados.

“Pedimos que a população não alimente os animais próximos a praças de alimentação,  porque isso pode trazer transtornos a toda comunidade. Dentro do programa, temos a proposta de fazer áreas específicas para a alimentação desses animais e com horários definidos”, explica o veterinário.

O programa está nos ajustes finais e com o tempo deve se expandir também para o interior do Estado.

Por Graciane Sousa

Fonte: Cidade Verde

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *